Em sete meses, vereadores de Manaus gastaram R$ 1,4 milhões em publicidade

By -

A divulgação da atividade parlamentar foi o item que mais consumiu a Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) dos vereadores que compõem a Câmara Municipal de Manaus (CMM) nos sete meses deste ano. 46% deles investiu nesse item para consumir os R$ 18 mil mensais a que têm direito. A informação foi coletada ontem (7) a partir dos dados disponibilizados no site da casa legislativa.

De janeiro a julho, foram gastos pelos parlamentares R$ 4,85 milhões do chamado “Cotão”, sendo que R$ 1,4 milhões foi utilizado com publicidade da atividade que realizam. Dentre os que mais desembolsaram mais de R$ 70 mil com o item estão: Plínio Valério (PSDB); Sassá da Construção Civil (PT); Cel. Gilvandro Mota (PTC) e Professor Samuel (PHS).

Destacando os 60 Projetos de Lei, Professor Samuel diz ter consciência do papel como legislador e que é preciso fazer a divulgação do trabalho. “Fui reeleito com quase o dobro de votos comparado com o número da legislatura passada e como não tenho um programa de rádio ou de televisão, o único meio que uso para divulgar minhas atividades na capital de Manaus é através de informativo. Faço isso usando a verba que é devida”, justificou.

Plínio afirmou que a CMM está “desprestigiada” e que deve satisfações à população acerca das leis propostas e sancionadas, assim como ações. “E como devo satisfações à população, promovo a divulgação do meu trabalho. Não gasto com alimentação, nem telefone e carro. Vou continuar fazendo isso enquanto for legal”, disse.

Menores gastos

Álvaro Campelo faz parte dos cinco vereadores que menos utilizaram a Ceap para divulgação  de ações parlamentares, a justificativa é, também, o uso das redes sociais e o programa de TV que possui. “Faço pouco uso em razão de ter um trabalho que já é bastante divulgado pela mídia local, dada a importância das ações que eu desenvolvo. Além disso, me utilizo das redes sociais e do programa que eu apresento na TV para fazer esta prestação de contas à população”, relatou.

Já a vereadora Therezinha Ruiz (DEM) destacou que os gastos são programados. “Cada parlamentar tem o seu planejamento, e por isso acredito que haja essa discrepância quanto aos valores”, defendeu.

Campanha

Candidatos ao governo na eleição suplementar do Estado do Amazonas, os vereadores Marcelo Serafim (PSB), Professora Jacqueline (PHS) e Wilker Barreto (PHS) abdicaram das verbas do “Cotão” durante o período de campanha.

Tiago Jacaúna, cientista político e sociólogo

O político  profissional, aquele que se dedica frequentemente a conquistar algum posto de poder, precisa se fazer notado. A notoriedade é um tipo de capital simbólico importante para atuar na política. Dessa forma, não é de se espantar que haja um volume considerável de verbas da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) destinadas a divulgação de atividade parlamentar, é preciso manter o lastro dos votos adquiridos no último pleito, principalmente por aqueles que estão experimentando a atividade de representação política pela primeira vez. Diante da incredibilidade que a “classe” política está tendo no país, é possível inferir que os políticos tentem se afastar da crise divulgando seus feitos.

Por EM TEMPO

Roberto Brasil