Em seminário, prefeito cobra que Brasil conheça melhor Manaus

By -

Mais uma vez no foco dos principais debates sobre a Região Amazônica e suas potencialidades, o prefeito Artur Virgílio Neto abriu nesta segunda-feira, 27/11, a programação do Seminário “O Futuro da Amazônia”, organizado na capital pelo Jornal Folha de São Paulo. Em seu discurso, ele destacou a vocações econômicas, turísticas e biotecnológicas de Manaus.

O prefeito lembrou que Manaus é muito valorizada internacionalmente, a ponto de ter sido destaque durante a 23º Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP23), que aconteceu no mês passado, na cidade de Bonn, na Alemanha. Mas, segundo Arthur, esse reconhecimento falta por parte do Brasil.

“Esse seminário abre as portas de uma grande parcela da opinião pública para fazer saber que aqui na nossa região tem inteligência. Produzimos tecnologia, garantimos as fronteiras e temos uma metrópole que é o coração da Floresta Amazônica. Temos todo um futuro para oferecer ao Brasil, se for um parceiro nosso”, alertou o prefeito Artur Neto.

Virgílio também destacou a realização de reformas estruturais no fortalecimento institucional do Brasil para uma retomada econômica concreta e um futuro brilhante a longo prazo. Ao falar sobre a Zona Franca de Manaus, o prefeito enfatizou que o modelo precisa ser repensado, além de acabar com a visão deturpada em relação aos incentivos fiscais concedidos.

“O dinheiro que aqui se investe, a título de incentivos fiscais, é bem inferior ao dinheiro que retorna para o Tesouro, a partir dos tributos federais aqui recolhidos. Recolhemos mais da metade dos tributos federias da Região Norte inteira e isso mostra que não há paraíso fiscal. Tem um modelo de desenvolvimento que deu certo, que está em crise e que precisa ser repensado por todos nós”, defendeu Artur.

Sobre o futuro, o prefeito deixou claro que é preciso oferecer saídas estratégicas e que Manaus é, potencialmente, uma grande saída para o Brasil. “São Paulo não pode ser vista como um algoz de outras regiões do país, queremos que ela (a cidade paulista) entre em um novo modelo de Brasil ao nosso lado e, que nesse modelo, se torne grande aliada no desenvolvimento de todos”, avaliou. “Alô Brasil estamos aqui. Aprendamos juntos a fazer coisas boas por você também”, finalizou Artur Neto. 

Meca do Turismo 

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula, também foi um dos convidados do seminário para falar sobre o desenvolvimento do turismo na região. Para ele, Manaus cresceu muito no que diz respeito ao turismo nos últimos anos, devido ao processo de revitalização do Centro Histórico e pela realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

“Nós somos a capital da preservação da Amazônia e estamos investindo muito na infraestrutura e promoção turística da cidade, ou seja, a revitalização do Centro, a Ponta Negra e o Mercado Municipal Adolpho Lisboa são grandes marcos daquilo que queremos para o turismo de nossa cidade”, disse Bernardo.

Murilo Bussab, diretor de marketing do grupo Folha, também destacou a importância de se debater Manaus e suas potencialidades turísticas e econômicas. “Manaus é o polo mais importante da Região Norte. Desenvolvimento econômico, cultura e turismo são as marcas de Manaus, que causam influência em todo o país, por isso a cidade se firma como o ponto mais importante da região”, disse o organizador.

*Com informações da assessoria

Roberto Brasil