Em reunião do CAS, Senador Omar Aziz ressalta importância do CBA para modelo Zona Franca

By -
Sen. Omar Aziz

Sen. Omar Aziz

O Senador Omar Aziz (PSD-AM) alertou sobre a necessidade da ativação do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) para fazer valer o decreto 8.597/2015, assinado pela presidente Dilma Rousseff. O Senador do Amazonas explica que a reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), reunido na manhã desta sexta-feira (26), em Manaus, não iria discutir novas indústrias, mas sobre fábricas que vão produzir bens finais usando só matéria-prima local em municípios do Amazonas e outros Estados da Amazônia.

“Vai ser bom para a nossa região e para o nosso Estado. O açaí, por exemplo. Temos um projeto com a Coca-Cola, que ela compra praticamente todo o açaí no Amazonas. Mas ela produz o bem final no Espírito Santo e isso gera emprego lá. A partir de agora, vamos poder ter toda esta cadeia produtiva aqui”, analisou Omar Aziz.

Sobre a ativação do CBA, o Senador do Amazonas ressaltou a importância do Centro para o desenvolvimento de pesquisas e estudos que sirvam de base para a implantação de novas indústrias nas Áreas de Livre Comércio (ALCs) em Macapá e Santana, no Amapá; Tabatinga, no Amazonas; Guajará Mirim, em Rondônia; e Brasileia e Cruzeiro do Sul, no Acre. A Área de Livre Comércio de Boa Vista e Bonfim, em Roraima, também está contemplada pelo decreto 6.614/2008.

“Não vamos confundir essa Zona Franca Verde com a outra Zona Franca Verde. Vamos deixar claro isso. Existe agora uma isenção de impostos com a mesma avaliação que é feita na Zona Franca de Manaus para os Estados que vão utilizar matéria prima regional, principalmente extrativista. Para que esses Estados, que são parceiros nossos na defesa da Zona Franca, possam usufruir dos benefícios”, explicou Omar Aziz.

Participaram da reunião do Conselho de Administração da Suframa o governador do Amapá, Waldez Góes, os senadores do Amapá, Davi Alcolumbre e Randolfe Rodrigues, a vice-governadora do Acre, Nazareth Araújo, entre outras autoridades.

Roberto Brasil