Eduardo Braga, Rebecca Garcia encontro com profissionais da Educação

By -
Sen. Eduardo Braga

Sen. Eduardo Braga

O senador Eduardo Braga, candidato ao Governo do Amazonas pela coligação “Renovação e Experiência”, costuma dizer que as grandes transformações acontecem por meio da Educação. A atenção especial que dedica ao tema pôde ser comprovada na manhã deste domingo (14), quando realizou um encontro com profissionais da área, em sua maioria professores, no auditório do Dulcila’s Festas e Convenções.A plateia lotada aplaudiu a chegada de Eduardo Braga, que estava acompanhado por sua candidata a vice, Rebecca Garcia. No início da reunião, um vídeo retirado do programa eleitoral de Eduardo Braga na televisão mostrou os avanços alcançados na Educação durante o governo de Eduardo Braga.

Programas criados na gestão Eduardo Braga que ajudaram a alavancar a qualidade da Educação no Estado também foram lembrados. Centro de Educação de Tempo Integral (CETI), o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (CETAM), o Ensino Mediado (utilizando a mediação tecnológica para educar no interior), projeto Reescrevendo o Futuro e o projeto Jovem Cidadão foram citados.

Eduardo Braga iniciou sua fala criticando a propaganda oficial do Governo do Estado. “Se você liga a televisão, você pensa que tudo vai muito bem. Mas a realidade é outra. Falta professor, falta material, falta merenda. Falta praticamente tudo que já não faltava mais na nossa gestão”, disse.

Segundo Braga, o atual governo cometeu vários erros na área da Educação, mas três foram os mais graves. “O primeiro foi confundir os Centros de Educação de Tempo Integral com uma escola comum. Pintaram escolas, mudaram o nome e fizeram um faz de conta. Um depósito de crianças. Uma maldade, uma perversidade”, afirmou.

A indicação de gestores para as escolas por critério político foi outro erro grave, segundo Eduardo Braga. “Isso machuca o coração de quem quer educação de qualidade”, disse o senador. A perseguição política de professores e diretores de escolas também foi citada como um erro grave do atual governo. “Não imaginava que eu iria ter que presenciar isso no meu País. Uma ditadura perseguindo professores, perseguindo funcionários públicos em pleno século 21”.

O fato de que o Amazonas caiu seis posições no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) também foi comentado por Eduardo Braga. “Estávamos em 11º e Deus sabe o quanto nós trabalhamos para colocar o Amazonas nessa posição. Para construir demora, mas para destruir é rápido. Nós vamos reprovar isso no dia 5 de outubro”, declarou.

Mario Dantas