Dupla que fornecia armamento para facção criminosa termina presa

By -
Francisca e Luiz transportavam o armamento num táxi

Francisca e Luiz transportavam o armamento num táxi abordado pela Polícia

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação do 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob a coordenação do delegado plantonista Felipe Lago, prendeu na noite de quinta-feira (26), por volta das 18h30, Luiz Amaral Machado, 49, e Francisca de Alencar Cajueiro, 38, por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e uso permitido. O fato ocorreu em frente à unidade policial, situada na Rua Coronel Ferreira Araújo, bairro Petrópolis, zona Sul da cidade.

De acordo com o delegado titular do 3º DIP, Fernando Bezerra, os investigadores receberam uma denúncia, informando que haveria um transporte de armas naquela área e que o procedimento estaria possivelmente ligado ao abastecimento da facção criminosa Família do Norte (FDN).

“A partir das informações, os policiais foram deslocados até a Avenida Codajás, no bairro Petrópolis, zona Sul, endereço relatado pelo denunciante. No local observaram um táxi que estava com uma passageira e esperaram o momento mais seguro para fazer a abordagem. Isso aconteceu em frente à delegacia, pois estava no trajeto feito por eles”, informou a autoridade policial.

dupla-facçao-criminosa-02No interior do veículo foram apreendidos dois revólveres calibre 38, um deles com numeração raspada e o outro pertencente ao acervo da Polícia Militar; uma escopeta calibre 12, também com identificação suprimida, além de munições.

Em depoimento, Francisca revelou que a mercadoria seria entregue a um desconhecido que estava no bairro Jorge Teixeira, zona leste da cidade, e que as armas teriam como destino municípios no interior do Estado. A mulher informou, ainda, que receberia R$ 1 mil para fazer o transporte do armamento e que pagaria R$ 50 reais ao taxista pela corrida. O homem negou  participação no crime, alegando que apenas atendeu ao chamado da mulher.

O delegado Fernando Bezerra disse que Francisca afirmou, em depoimento, que aceitou fazer o transporte porque estaria desempregada. Ela relatou que uma conhecida, identificada como Adriele, que trabalha em uma casa noturna localizada na zona Leste, foi quem ofereceu o dinheiro para que o serviço fosse executado.

Ao término dos procedimentos legais, Luiz foi encaminhado à Cadeira Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa e Francisca foi levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF). Eles irão responder por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e permitido, previstos no Artigo 16, parágrafo único, da Lei nº 10.823/2003.

Roberto Brasil