Doméstica é morta brutalmente em Parintins no Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher

By -

domestica-parintins-violencia-blogdafloresta-colagemDa Redação – O “Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher” comemorado em 25 de novembro foi marcado na cidade de Parintins com um brutal assassinato da doméstica Ilcelene Marialva de Souza, de 37 anos. Ilcelene levou várias facadas desferidas pelo companheiro dela, Jandeci de Souza Lopes, 31, o  “Gati”. O homicídio foi por volta das 12h na Rua Raul Góes, Bairro de Palmares, na casa do acusado de número 1296.

Gati deu a primeira estocada na costa de Ilcelene no interior da residência. Segundo relatos das testemunhas, a doméstica conseguiu fugir, mas depois de perseguida, já num quintal abandonado, levou mais 4 facadas.

A doméstica não resistiu aos ferimentos e mesmo sendo socorrida pelos vizinhos chegou morta ao Hospital Regional Jofre Cohen. Ela teve choque hipovolêmico causado pela perda de sangue.

Gati frequentemente espancava Ilcelene. Há dois meses, como um animal selvagem, arrancou com os próprios dentes parte das orelhas da doméstica. Após esse episódio, Ilcelene rompeu o romance. Segundo familiares, ela foi até a casa de Gati para buscar o restante das roupas deixadas no local.

Fuga e cerco policial

Momentos após cometer o brutal assassinato Jandeci Gati evadiu-se do local, após ameaçar vários vizinhos. Ele se escondeu por mais de cinco horas num matagal na região do Macurany, no final do bairro de Palmares. A polícia civil e militar montaram cerco e guarnições durante toda a tarde. Ao ser preso, Gati não esboçou mais reação. Hudson Lima

Roberto Brasil