Doações de deputados e servidores beneficiam seis entidades filantrópicas por meio da “Assembleia Cidadã”

By -

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), David Almeida (PSD), destacou na manhã desta quinta-feira (23) a importância do programa “Assembleia Cidadã”, que ajuda instituições filantrópicas do Amazonas com doações de alimentos e equipamentos, adquiridos com recursos doados pelos deputados e pelos servidores do Poder Legislativo. Em pronunciamento no plenário, David Almeida, agradeceu o empenho dos servidores da Aleam e da equipe que compõe o “Assembleia Cidadã”, na figura de seu presidente, o diretor de Saúde, o médico Arnoldo Andrade.

David Almeida, que também pela manhã participou da entrega de alimentos não-perecíveis às instituições filantrópicas Casa da Criança, Instituto Marília Barbosa, Arquidiocese de Manaus, Jardim Belo Horizonte e Igreja de São Geraldo, lembrou o sentimento de solidariedade embutido nas doações e apontou que mesmo sendo uma pequena ajuda “sem dúvida alguma, ela colabora para melhorar as condições de vida de muitas pessoas”.

“Hoje a Assembleia Cidadã, os deputados, diretores e servidores estão ajudando a minorar o sofrimento de muitas pessoas que não tem no seu dia a dia as condições que todos nós temos do trabalho e de muitas instituições que ajudam essas pessoas”, elogiou o presidente.

Coordenador do Programa Assembleia Cidadã, Arnoldo Andrade, disse que o reconhecimento do projeto pelo presidente David Almeida, coroa o esforço que todos os servidores da Aleam realizam. “Dezenas de instituições fazem uso dessas doações e hoje pudemos ajudar mais seis instituições. Temos certeza que o reconhecimento da administração do presidente David com o projeto só nos fará crescer ainda mais”, declarou Arnoldo Andrade. 

Assembleia Cidadã 

Em funcionamento há seis anos, o programa Assembleia Cidadã pode cadastrar qualquer instituição filantrópica do Amazonas para receber as doações do projeto Assembleia Cidadã. Basta que ela demonstre seu trabalho filantrópico e apresente os documentos que a reconhecem como tal. A assistente social do programa, Maísa Alfaia, explica que elas podem procurar o departamento da Assembleia Cidadã e realizar seu cadastro. “Após o cadastro, fazemos uma análise dos pedidos e selecionamos as instituições que serão visitadas pela equipe técnica para verificar se todos os documentos e informações estão corretos”, explica ela.

O projeto Assembleia Cidadão não tem um valor fixo destinado a cada instituição. As doações feitas pelos deputados e servidores da Aleam são descontadas mensalmente dos contracheques, no valor autorizado por cada um. No final de cada mês, o total de recursos obtidos é dividido de acordo com o número de instituições que serão beneficiadas. “Nenhum centavo em dinheiro é repassado para as instituições. Na entrega de hoje o valor foi de R$ 3 mil para cada instituição. Nossa equipe foi às compras e estamos entregando aos gestores das instituições. Muitas vezes o que eles precisam são alimentos, mas há casos em que compramos geladeiras, ar-condicionado, colchões e outros equipamentos”, disse Maísa Alfaia. 

Solidariedade 

“É uma ajuda maravilhosa”, definiu a gestora da instituição Escola Espírita Marília Barbosa, Maria de Nazaré, após receber do presidente David Almeida, o termo de aceite das doações. Esta é a terceira vez que a instituição recebeu doação da “Assembleia Cidadã” para ajudar a manter 278 crianças entre dois e 12 anos. “É uma ajuda maravilhosa. Só Deus para ajudar essas pessoas dando saúde para continuarem esse maravilhoso trabalho que ajuda nossas crianças. Nossa creche não tem ajuda do governo e vivemos das doações como esta da Assembleia”, afirmou Maria de Nazaré.

A coordenadora da creche Jardim Belo Horizonte, Iracema Arcanjo, que atende 250 crianças de idade entre dois e seis anos, disse que a doação recebida é fundamental para manter o trabalho da creche. “Nós cuidamos dos filhos de mães carentes que não têm recursos para pagar quem cuide dos filhos. O pouco que recebemos é muito para essas crianças. A doação é um processo tranquilo e sem burocracia”, disse Iracema Arcanjo.

Roberto Brasil