Disputa pela presidência da Câmara faz aumentar tensão na base

By -
Os deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Rogério Rosso (PSD-DF)

Os deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Rogério Rosso (PSD-DF)

Apesar das tentativas do governo de consolidar um nome que una sua base na disputa pela presidência da Câmara, as duas principais alas de aliados do Palácio do Planalto — o centrão e a antiga oposição — intensificaram a troca de ataques, aumentando o risco de um racha que deixe sequelas nesta eleição. De um lado, os apoiadores da candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) acusaram seu principal rival, o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), de ser “o candidato do Eduardo Cunha”, peemedebista que renunciou ao comando da Câmara quinta-feira, dois meses após ser afastado do cargo pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Na outra trincheira, os aliados de Rosso tentavam esvaziar a candidatura de Maia classificando-o como “candidato do PT”. Isso porque Maia busca votos no PT, no PDT e no PCdoB. Na noite de segunda-feira, a bancada do DEM, em nota, indicou oficialmente o nome de Maia para a disputa.

Eleição marcada para às 16 horas

Ao menos o temor do governo de que a eleição fique para o segundo semestre foi descartado, após o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), decidir que a escolha do novo presidente da Casa será na quarta-feira, às 16h. Os registros de candidaturas serão aceitos até o meio-dia do mesmo dia, e cada candidato terá dez minutos para discursar. Até a noite de segunda-feira, dez candidatos haviam registrado seus nomes.

(Com Agência O Globo)

Roberto Brasil