“Diretas Já no Amazonas e no Brasil”, defende José Ricardo

By -

Dep. José Ricardo

O deputado José Ricardo Wendling (PT) manifestou-se nesta quinta-feira (18) sobre as graves denúncias e polêmicas envolvendo o cenário político estadual e nacional. No Amazonas, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) ingressou com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para suspender o processo de eleição direta e garantir que o novo governador seja escolhido pelos próprios parlamentares, numa eleição indireta. Já no Governo Federal, o presidente da República foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) em gravação de diálogo em que incentiva empresários e donos da empresa JBS a pagar mesada para comprar o silêncio do ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB/RJ). As denúncias também comprometem o senador Aécio Neves (PSDB/MG), já afastado hoje pelo Supremo, gravado pedindo R$ 2 milhões a um dos empresários. 

“Alguns parlamentares do Amazonas querem dar um golpe na democracia, tirando o direito da população de escolher o próximo governador. O Estado está abandonado e precisa de uma administração séria, com planejamento e transparência. A cada dia, mais pessoas estão interessadas nesta eleição. Até o governador interino está consultando o TRE para saber se poderá ser candidato. Mas continuo defendendo eleições diretas. O povo que deve escolher a melhor opção para governar o Estado. Isso é democracia”, declarou José Ricardo.

Com relação ao escândalo de ontem envolvendo o presidente da República e um senador, o parlamentar defendeu a renúncia, a cassação e a prisão do presidente Temer. “É impostor e golpista. Não tem nenhum respaldo para continuar no poder. O partido dele (PMDB) é o que tem mais gente envolvida na Lava Jato. Deveria imediatamente renunciar e ir para a cadeia”, afirmou ele, que da mesma forma pensa para o senador Aécio Neves, com envolvimento até no tráfico de drogas. “Deve sair do Senado Federal e ir direto para a cadeia. Foi citado como mafioso, quando falou sobre a morte de alguém nas gravações entregues ao STF”.

Para o deputado, o mais interessante é que esses fatos não estão diretamente relacionados com a Operação Lava Jato e que há indícios de que seus membros tinham conhecimento dessas denúncias e nada fizeram até então. “Isso só prova mais uma vez que a Lava Jato é seletiva, que está articulada para pegar o Lula e enfraquecê-lo para uma futura disputa eleitoral à presidência”.

Ele ainda questionou onde estão as pessoas “batedoras de panelas” e que patrocinaram o golpe. “Sumiram? Cadê os deputados federais e senadores? Parece que só estão interessados em acabar com os direitos dos trabalhadores. Deveriam sair todos e ter uma nova eleição. Porque, ao pé da letra, todos deveriam pedir desculpas a Dilma e a colocarem de volta na presidência da República”. E finalizou: “Tiraram alguém que não cometeu crime algum. Diretas Já no Amazonas e no Brasil”.

Roberto Brasil