Dilma é notificada para comparecer ao Senado no dia da votação do impeachment

By -
José Eduardo Cardozo (D), advogado da presidenta afastada Dilma Rousseff, entrega ao diretor de Expediente do Senado, Celso Dias dos Santos, documentos relativos ao contraditório e à ampla defesa

José Eduardo Cardozo (D), advogado de Dilma Rousseff, entrega ao diretor de Expediente do Senado, Celso Dias dos Santos, documentos relativos ao contraditório e à ampla defesa

A presidenta afastada Dilma Rousseff foi notificada hoje (12), no Palácio da Alvorada, para comparecer ao Senado Federal no próximo dia 25, quando será julgada no processo de impeachment. A notificação foi enviada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal e também presidente do processo, ministro Ricardo Lewandowski.

O documento é subscrito pelo secretário-geral da Mesa do Senado, Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho, como escrivão do processo. A presidenta recebeu a notificação às 15h05 (horário de Manaus), depois que seu advogado, o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, protocolou o contraditório da defesa no Senado – no fim da manhã de hoje.

Cardozo ainda não confirmou se a presidenta afastada irá se defender pessoalmente no plenário do Senado durante o julgamento final. Ele disse que ainda vai consultar Dilma sobre isso, mas nos bastidores é grande a expectativa de que ela compareça para falar pessoalmente aos senadores.

O rito do julgamento ainda será definido pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pelos líderes partidários da Casa e pelo ministro Lewandowski na próxima semana. O que já se sabe é que o julgamento deve durar pelo menos três dias e que serão ouvidas nove testemunhas – três de acusação e seis de defesa.

(Com AGÊNCIA BRASIL)

Roberto Brasil