Dia mundial do idoso inicia com caminhada de conscientização sobre violência e maus-tratos em Manaus

By -

violencia-contra-idososO Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e Conselho Estadual do Idoso (CEI/AM), vai realizar caminhada de conscientização sobre violência e maus-tratos contra a pessoa idosa no dia 15 de junho (segunda-feira), dia mundial sobre o tema. A concentração será às 8h no Largo São Sebastião e segue pela Avenida Eduardo Ribeiro até a Praça Eliodoro Balbi, na Avenida Sete de Setembro, Centro.

A programação continua a tarde com uma palestra sobre tema às 14h no Centro de Convivência da Família Maria de Miranda Leão na Av. Loris Cordovil, bairro Alvorada 1, zona Oeste. No dia 16 de junho acontece uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Amazonas na Rua Recife, 3.950 bairro Parque Dez, zona Centro-sul’.

Estatística da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP), informa que de janeiro a abril deste ano foram registradas 2.603 ocorrências de crimes contra o idoso. A maior incidência está relacionada a furto (598), seguido de ameaça (297), roubo (262) e perturbação da tranqüilidade (170). Em todo o ano de 2014 foram registradas 6.265 ocorrências. As zonas com maior incidência de violação de direitos do idoso, em ambos os anos, são a Sul e Norte. Na faixa etária de 60 a 70 anos, o maior índice de vítimas é do sexo masculino, cerca de 53% do total.

A titular da Sejusc, Graça Prola, informa que a população pode denunciar qualquer crime de maus tratos contra o idoso pelos Disque 165 ou 100 e que a Rede de Atendimento ao Idoso do Amazonas composta por vários órgãos de atenção a esse público intensificou os trabalhos de conscientização, informação e atividades nos últimos anos. “A Rede vem trabalhando para atender e acolher melhor a pessoa idosa. Informar e conscientizar à população que praticar violência contra o idoso é crime, previsto em lei. Quem é vítima deve procurar ajuda do Estado que possui ferramentas específicas, pois, sabemos que infelizmente ainda existem muitos casos de abandono, abuso financeiro, agressão física e psicológica, maus tratos e tantos outros crimes que os algozes são membros da própria família”, informa.

Roberto Brasil