Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil reúne dezenas de jovens na zona Leste

By -

COMBATE-TRABALHO-INFANTIL_1No Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a campanha com o tema “Não ao trabalho infantil, sim à educação de qualidade”, desenvolvida pelo Fórum Estadual de Prevenção do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalhador Adolescente (Fepeti/AM), foi realizada na quadra poliesportiva do bairro Colônia Antônio Aleixo. O evento contou com a parceria da Prefeitura de Manaus, por meio das secretarias municipais de Saúde (Semsa), de Educação (Semed) e da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh).

As comemorações alusivas ao dia 12 de junho acontecem simultaneamente em dezenas países com milhares de eventos a fim de sensibilizar a sociedade e os governos sobre a importância de se eliminar essa violação de direitos. Em Manaus, a data ganhou reconhecimento nos últimos anos e, neste ano, contou com programação cultural incluindo fanfarra e performance de jovens, apresentação da Campanha, depoimentos de jovens aprendizes egressos de situações de vulnerabilidade social, ação social com emissão de CTPS, RG, CPF, certidão de nascimento e título de eleitor, realização de testes vocacionais, além da distribuição de cadernos alusivos a campanha de combate ao trabalho infantil e livros infantis.

COMBATE-TRABALHO-INFANTIL_3“A Semsa tem várias ações voltadas para crianças e adolescentes, o que contribui para o combate à exploração infantil, pois na saúde temos que observar a criança e o adolescente de forma holística, trabalhando com os pais, mães, família, verificando se a criança está na escola, se o ambiente em que ela se encontra está saudável, na tentativa de influenciar no melhor desenvolvimento desse público”, alertou a subsecretária de gestão em Saúde, em exercício, Aldeniza de Souza, durante a realização do evento na zona Leste de Manaus.

O estudante George Oliveira, de 14 anos, fez uma palestra aos colegas de sala de aula sobre o assunto, como parte da programação no período da manhã. Para ele, compartilhar com seus colegas informações do dia a dia que muitas vezes são ignorados por eles foi uma oportunidade significativa. “O meu sentimento foi de que eu aprendi mais sobre a exploração do trabalho infantil e que o trabalho não deixa o jovem a crescer uma vez que é comprovado que o organismo da criança não se desenvolve. Eu queria avisar a eles que muitos deles acham que trabalhar é normal, ainda mais que eu conheço muitos deles que trabalham como escravos e no nosso bairro tem muito a questão da prostituição e isso não é bom para uma criança”, lembrou.

COMBATE-TRABALHO-INFANTIL_2Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em setembro de 2013, ainda persistem na condição de explorados 168 milhões de crianças em todo o mundo – 11% de toda a população infantojuvenil – estimando-se que a metade deles, que corresponde a 85 milhões, nas piores formas de trabalho infantil. O Brasil é pioneiro e referência na comunidade internacional no que se refere aos esforços para a prevenção e eliminação do trabalho infantil. Desde meados da década de 1990, o País assumiu oficialmente a existência do problema e declarou sua disposição de enfrentá-lo.

Também foram parceiros na ação o Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público do Trabalho, Secretaria de Educação do Estado (Seduc), Sesi, Ciee, Pró-menor Dom Bosco, CDL Manaus, Canal Futura e organizações do terceiro setor.

Roberto Brasil