Deputados repercutem voto do ministro relator sobre recurso de cassação do Governador José Melo no TSE

By -

Da Redação – Deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) ficaram satisfeitos com voto do ministro relator no julgamento do recurso da cassação do Governador do Estado do Amazonas, José Melo (PROS) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgado nesta quinta-feira (23), em Brasília. 

O deputado Belarmino Lins (PROS) disse que a justiça tarda, mas não falha. “A manifestação do ministro relator pela absolvição do Governador do Jose Melo é uma questão de justiça e de justeza. A ausência de qualquer matéria que comprove ou, qualquer material de provas, daí o relator no seu grau de responsabilidade proferiu o seu voto pela absolvição reconhecendo que há carência de provas que presuma presunção do delito. Assim, o Governador José Melo poderá cumprir o seu mandato nos próximos dois anos aumentando as expetativas em beneficio da população, mostrando a sua vontade politica e suas aspirações como amazonense”. 

“Eu sempre acreditei na inocência do Governador José Melo e não aceito essa subversão de contrariar a vontade popular que deu a ele uma votação com uma diferença de mais de 73 mil votos para o segundo colocado. Agradeço a Deus pela forma como o relator deu seu voto, dizendo que não tem nenhuma prova, nada que possa comprometer o mandato do Governador. Tenho certeza que o Governador voltará mais fortalecido, mais confiante para continuar trabalhando com mais tranquilidade, ele traz de Brasília não apenas este triunfo senão recursos para nosso querido estado”, salientou o líder do Governo, deputado Sabá Reis (PR). 

Para o presidente da Aleam, deputado David Almeida (PSD), a decisão foi acertada. “O voto do ministro relator fez justiça a todos os argumentos da defesa. Os assuntos apresentados foram captados. Com isso o processo segue e acredito que a decisão mais acertada será tomada que é a absolvição do Governador Jose Melo, por tanto penso que daqui para frente ele poderá trabalhar com mais tranquilidade”, concluiu.  (Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil