Deputado pede à Justiça Eleitoral para sair do PT por ‘justa causa’

By -
O deputado mineiro Weliton Prado

O deputado mineiro Weliton Prado

Em conflito com a bancada do PT na Câmara e sob a justificativa de que a legenda descumpre seu programa de defesa dos trabalhadores, o deputado mineiro Weliton Prado pediu à Justiça Eleitoral a desfiliação do partido “por justa causa”.

Ele alega ainda que sofre “grave discriminação pessoal” dos colegas petistas. Weliton foi o único deputado do PT a votar contra a medida provisória que restringiu o acesso ao seguro desemprego e também o único a votar a favor da redução da maioridade penal.

Na ação enviada ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a defesa do deputado lista atitudes do partido que ele vê como retaliações às duas votações, como ameaça de retirá-lo das comissões, de exclusão em memorandos internos do PT e do grupo da bancada no aplicativo Whatsapp.

O texto cita trechos do estatuto do PT a favor dos direitos trabalhistas e afirma que os deputados têm sentido “grande constrangimento” para votar medidas do ajuste fiscal.

“Apesar do mandato pertencer ao partido, o seu mandatário ocupa o cargo em razão da ideologia partidária, e quem deu causa à mudança foi a própria agremiação, e não o mandatário”, diz a ação.

Por causa do descumprimento das orientações do partido, Weliton Prado já foi ameaçado de expulsão. Depois que ele votou pela redução da maioridade penal, o presidente do PT, Rui Falcão, disse que o caso dele seria levado ao conselho de ética do partido.

Se vencer o processo, Weliton poderá trocar de partido sem perder o mandato.

A ação foi distribuída ao ministro do TSE João Otávio Noronha, que relatará o processo. FOLHAPRESS

Roberto Brasil