Delegações olímpicas pisam pela primeira vez na Arena da Amazônia

By -

delegacoes-arena-01Em meio aos treinos e breves “escapadas” para conhecer Manaus e seus arredores, as delegações da Suécia, Japão e Colômbia realizaram na tarde desta quarta-feira, 3, uma visita à Arena da Amazônia para o reconhecimento do gramado e realização de coletivas de imprensa. Nesta quinta-feira, 3, Suécia e Colômbia duelam às 18h, seguido do Japão e Nigéria, às 21h. As partidas dão o ponta-pé inicial a participação manauara nos jogos do Torneio Olímpico de Futebol Rio 2016.

delegacoes-arena-03Acompanhado do canhoto Astrit Ajdarevic, atacante do Obrero FC, equipe da primeira divisão da Suécia, o treinador sueco Hakan Ericsson falou sobre o atraso da delegação nigeriana no desembarque na capital amazonense, somente nesta quarta-feira. “É uma pena que eles (a Nigéria) ainda não estejam aqui. Nós cumprimos com a nossa parte. Chegamos cinco dias antes do jogo, como era previsto, e estamos treinando”, disse o técnico. Sobre a qualidade dos rivais, ele foi enfático: “Não sou olheiro para saber das outras equipes. Estamos nos preparando bem para a estreia”, disse.

Já o técnico colombiano Carlos Restrepo, que veio a Manaus em abril deste ano para conhecer as instalações do Governo do Amazonas, garantiu que o time que entrará em campo nesta quinta-feira sabe da pressão que é representar o país em uma competição como os Jogos Olímpicos Rio 2016.

delegacoes-arena-04“São 24 anos que a Colômbia não disputa a competição. Existe uma pressão, mas estamos trabalhando diariamente para que o melhor time da história do nosso país não sinta isso”, explicou o treinador, adiantando que o atacante do Sporting-POR, Teófilo Gutierrez, de 31 anos, será o capitão da equipe na competição.

delegacoes-arena-02Samurais azuis – Antes de fazer o único reconhecimento oficial do gramado nesta quarta-feira e acompanhado por vários jornalistas asiáticos, o ex-jogador e atual comandante da seleção japonesa Makoto Teguramori, 48, comentou sobre a expectativa de, mesmo do outro lado do mundo, receber o apoio da torcida nipônica que vive no Brasil.

delegacoes-arena-05“A presença do público será fundamental, não só os japonês que moram aqui como os que vêm para torcer. A disputa é importante não só para nossa torcida, como para o nosso futebol”, falou o treinador, que pregou respeito à seleção africana, o seu primeiro obstáculo no torneio.

“Apesar da Nigéria não ter treinado aqui em Manaus, eu falo para os jogadores estarem atentos e se prepararem, pois é uma equipe que tem tradição e já ganhou o torneio. Não será uma partida fácil e estamos cientes disso”, encerrou.

Roberto Brasil