Delegação amazonense de Tiro com Arco embarca para o Rio em busca de vaga no Mundial

By -

Seis atletas do Tiro com Arco seguem para o Rio de Janeiro para participar da segunda seletiva para o Campeonato Mundial Adulto, que será na cidade de Maricá, entre os dias 30 de junho a 2 de julho. Pelo evento, estarão em jogo três vagas para uma das principais competições do circuito, que será no México, em outubro. A equipe, que recebe apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), viajaram na noite desta quarta-feira (28).

A delegação é composta pelos atletas indígenas Nelson Silva de Moraes, Graziela Paulino dos Santos, Jardel Cruz Gomes, Gustavo Paulino dos Santos, Drean Braga da Silva e Guibson Paulino dos Santos. O chefe e também técnico da delegação, Aníbal José, garante que sua equipe é favorita para conquistar uma das três vagas para o Mundial da categoria e a experiência pode ser um fator positivo para o desempenho dos atletas.

“Todos os atletas do Amazonas são experientes, com uma certa participação em competições locais e internacionais, apesar de alguns estarem participando pela primeira vez desse tipo de seletiva. Então, eu acredito que temos sim possibilidades de conseguir garantir uma vaga e representar nosso Estado a nível mundial, o que será algo importantíssimo para o esporte”, explica o técnico.

Preparação – De acordo com Aníbal, a preparação acontece todos os dias, há quatro meses, com treinamentos voltados para a parte técnica, física e psicológica, todos realizados no Centro de Treinamento e Alto Rendimento da Amazônia (Ctara), localizada na Vila Olímpica de Manaus, no Dom Pedro.

“A preparação é contínua, com a mesma intensidade, mesma força e mesma dedicação desde o início do ano. Começamos a preparar a cabeça dos atletas e vamos com muita determinação e esperança que vamos conseguir uma vaga para não só representar o Amazonas, mas também o Brasil”, conta Aníbal.

Promessa – Considerado um dos atletas mais promissores do esporte no Amazonas, o jovem Nelson Moraes, de apenas 17 anos, tem grandes chances de garantir uma vaga para representar o Amazonas no Mundial e também é favorito a abocanhar uma vaga pela categoria Cadete.

“O Nelson foi campeão no Grand Prix, em Monterrey, em abril deste ano, já participou de vários torneios internacionais, foi um dos melhores no Campeonato Brasileiro da categoria. Então, ele é a nossa maior aposta nesta seletiva da categoria Adulto e também na categoria Cadete”, explica Aníbal, ao lembrar que Nelson tambem participou da seletiva para as Olímpiadas Rio 2016, ficando entre os dez classificados.

Projeto – A equipe que vai para o Mundial integra o Projeto Arquearia Indígena no Amazonas, uma parceria entre Fundação Amazonas Sustentável (FAS), a Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e a Federação Amazonense de Tiro com Arco (Fatarco). Através do Projeto, jovens são acompanhados, instruídos, avaliados e treinados nos quesitos de postura, coordenação, força, alinhamento, ancoragem, largada e follow-through, e seguem treinando para campeonatos nacionais e internacionais.

Aníbal ainda destaca que o Projeto vem galgando resultados importantes, muito além das expectativas. “Posso dizer, com alegria e satisfação, que a evolução do Projeto é muito acima do que a gente esperava, em função do histórico que temos da modalidade no mundo inteiro. Um atleta para chegar no nível que os nossos arqueiros estão, levam de quatro a seis anos. Em dois, três anos, os nossos já estavam em nível nacional, competindo de igual para igual, e agora são atletas de padrão internacional e são vitoriosos no exterior”, disse.

No Centro de Treinamento e Alto Rendimento da Amazônia (CTARA) os arqueiros, assim como os demais atletas de alto rendimento, tem à disposição suporte de hotel, restaurante, consultórios médico e odontológico, academia, fisioterapia, massoterapia, nutrição, assistência social e psicologia.

Roberto Brasil