Defesa Civil-AM monta abrigo humanitário para atender famílias atingidas pela cheia no Careiro da Várzea

By -

abrigo-careiro-defesa-civil_2A Defesa Civil do Amazonas apresentou nesta sexta-feira, 12 de junho, o abrigo humanitário móvel que vai atender as famílias desabrigadas no município de Careiro da Várzea, no Baixo Solimões. A cidade segue em Situação de Emergência desde o dia 27 de maio, quando teve o pedido homologado pelo Estado. Pelo menos 14.142 pessoas estão afetadas pela subida das águas.

As dez barracas, montadas em uma balsa, têm capacidade para atender de oito a dez pessoas cada e contam a estrutura de caixas d’água, banheiros químicos, kits dormitórios, cestas básicas e filtros de água. As famílias serão alojadas mediante cadastro da Prefeitura do município que já contabiliza 100 desabrigados.

“Esse é um abrigo temporário que deverá ser utilizado enquanto perdurar a Situação de Emergência’’, ressaltou o diretor de Preparação e Assistência Pós Desastre da Defesa Civil do Estado, Davi Macena.

abrigo-careiro-defesa-civil_1O município, com 23.963 habitantes, já está com 80% de áreas alagadas. A Defesa Civil do Estado já enviou ao Careiro da Várzea 50 metros cúbicos de madeira para a construção de pontes e marombas, e a cidade deverá receber nos próximos dias nova remessa de cestas básicas para atender a demanda.

Nova ajuda ao interior  – Para Itacoatiara, no Médio Amazonas, foram enviadas nesta sexta-feira, dia 12, 30 toneladas de cestas básicas, e os próximos municípios que serão contemplados com o socorro serão Iranduba, com 20 toneladas, e Alvarães, no Médio Solimões, que receberá 15 toneladas.

Também foi entregue pelo órgão, 82 metros cúbicos de madeira ilegal apreendida pela Delegacia Especializada de Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanístico (Dema). O material foi distribuído entre os municípios de Careiro da Várzea (50 metros cúbicos) e Iranduba (32 metros cúbicos). Este último município já havia recebido da Defesa Civil do Amazonas 100 kits de madeira.

abrigo-careiro-defesa-civil_3Ao todo o Governo do Estado já enviou aos municípios em anormalidade por conta da enchente 591 toneladas de alimentos não perecíveis, além de kits dormitório (colchões, redes, mosquiteiros) kits de higiene pessoas, medicamentos, filtros de água, hipoclorito de sódio.

Roberto Brasil