Defesa Civil-AM doa madeira e duas toneladas de medicamentos a municípios afetados pela enchente no Estado

By -
A madeira será destinada a construção de pontes nos municípios de Manacapuru e Itacoatiara

A madeira será destinada a construção de pontes nos municípios de Manacapuru e Itacoatiara

O Governo do Estado, por meio da Defesa Civil do Amazonas, fez nesta quinta feira (14), a doação de 68 metros cúbicos de madeira e duas toneladas de medicamentos a nove municípios em anormalidade por conta da enchente dos rios. Ao todo 24 cidades do Amazonas compõem a listagem emergencial do órgão.

“O Governo continua dando total apoio aos municípios em Emergência e já estamos preparados para a enchente em Manaus, que deve ficar entre as três maiores dos últimos 10 anos”, enfatizou o Secretário da Defesa Civil AM, coronel Roberto Rocha.

A madeira doada (68 metros cúbicos) é oriunda de apreensões do Batalhão Ambiental da Polícia Militar e será destinada a construção de pontes nos municípios de Manacapuru e Itacoatiara, que estão em Alerta de Cheia.

“Essa madeira vai ajudar muito nossa operação na cidade. Já construímos três quilômetros de ponte para dar acesso às famílias às casas” informou o Secretário Executivo da Defesa Civil de Itacoatiara, Bruno Braga.

As duas toneladas de medicamentos (soro, hipoclorito de sódio, anti-inflamatórios e antibióticos) foram enviadas a sete municípios (Tabatinga, Benjamin Constant, Atalaia do Norte, Santo Antônio do Iça e São Paulo de Olivença na calha do Alto Solimões; Tefé no Médio Solimões e ainda, Maraã, no Japurá).

defesa-civil-am-doacao-madeira_02Balanço Geral

No balanço geral da Defesa Civil do Estado, 24 municípios estão em anormalidade, sendo Boca do Acre, em Estado de Calamidade Pública e os outros 23 em Situação de Emergência. As novas cidades que entraram na lista emergencial do órgão são: Beruri (Purus), Fonte Boa (Médio Solimões) e Maraã, o primeiro município da calha do Japurá a decretar Situação de Emergência por conta da enchente.

Benjamin Constant, na calha do Alto Solimões, em Emergência desde março, está sendo analisado por técnicos do órgão para o decreto de Estado de Calamidade Pública, o que significa uma evolução no cenário da enchente na cidade.

“Já constamos em Benjamin a interrupção total da atividade de comércio,o  início do afetamento do sistema elétrico e a impossibilidade de atracação de barcos de pequeno porte no porto”, informou Roberto Rocha.

Ao todo o Estado enviou 426 toneladas de alimentos não perecíveis às cidades afetadas, além de medicamentos, kit´s de higiene pessoal, kit´s dormitório, água potável e hipoclorito de sódio.

Um repasse financeiro também foi realizado pelo Governo do Amazonas as prefeituras de Boca do Acre, Envira, Itamarati e Eirunepé, no valor total de R$ 1,250 milhão, para ser usado no socorro às vítimas.Em todo o Amazonas mais de 154 mil pessoas estão afetadas pela enchente.

Roberto Brasil