Debate sobre desarmamento na pauta da Aleam

By -

aleam-desarmamento-debate-blogdafloresta-1Da Redação – Nesta sexta feira (10) foi realizada, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), uma Audiência Pública para debater as alterações no estatuto do desarmamento. A iniciativa foi do titular da Comissão Especial da Câmara de Deputados, deputado Marcos Rotta (PMDB), destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei 3722 (2012) do Sr. Rogerio Peninha que ‘disciplina as normas sobre aquisição, posse, porte e circulação de armas de fogo e munições’ e altera o Decreto Lei 2.848 de 1940 e revoga a Lei 10826. Participaram o relator da Comissão Especial de Desarmamento da Câmara de Deputados, Caudivio Carvalho, representantes da Secretaria de Estado de Segurança Pública, a Delegacia Geral, o Comando Militar do Amazonas, a Associação de Clube de Tiro do Amazonas ocidental, o presidente da Câmara Municipal de Canutama e deputados.

aleam-desarmamento-debate-blogdafloresta-2Um dos objetivos foi o de abrir os canais de diálogo com a sociedade brasileira. Na oportunidade destacou-se o trabalho que vem sendo realizado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública no combate ao narcotráfico, as quatro toneladas de drogas aprendidas nos últimos seis meses e junto a este combate milhares de armas aprendidas. A liberação e porte de armas deve ser ampliada?; redução da idade para porte de armas (de 25 para 21), foram temas do assunto polêmico na pauta.

O deputado Marcos Rota apresentou vários questionamentos como o de estender o porte de armas a outros cidadãos que tenham qualificações técnicas, assim como ampliar a licença (de um para dez anos) e desburocratiza-la para aqueles esportistas de tiro que representam os estados e têm que transporta-las em competições de um lugar a outro.

aleam-desarmamento-debate-blogdafloresta-5O representante da Secretaria de Segurança Pública disse que as armas estão relacionadas com os crimes cometidos, especialmente no combate ao narcotráfico. O presidente da Câmara Municipal de Canutãma relatou um assaltou sofrido nesta capital, quando apontaram uma arma na Av. Djalma Batista e desabafou “é como dizem, às vezes o bandido está mais armado que a Policia”.

“Sempre lutei contra o desarmamento, também deve se reduzir a burocracia para os esportistas de tiro, não há porquê uma fiscalização tão rigorosa para eles”, disse a deputada Alessandra Campelo (PCdo B). Por sua vez, o deputado Vicente Lopes (PMDB) destacou a importância do debate afirmando que “o problema está em nossa falta de capacidade para combater os crimes”.

aleam-desarmamento-debate-blogdafloresta-6
Fechar lojas de armas e abrir escolas

O representante do Conselho Regional de Psicologia, Dr. Fabio perguntou à plateia e às autoridades se é necessário saber de quê guerra está se falando e disse “é preocupante ouvir que estamos queremos liberar armas para cidadãos com menor idade, quando a realidade nos mostra que em qualquer conflito de trânsito, a pessoa aponta e atira quando armado, isto é um retrocesso. As mulheres e crianças são as principais vítimas e está sendo esquecido que é o papel do estado cuidar da sociedade”.

aleam-desarmamento-debate-blogdafloresta-4Explicou que o cidadão teria que andar armado para estar protegido, também indicou que o cenário de hoje se reflete na intolerância ao migrante, e que há latentes muitos preconceitos como o da homofobia, dentre outros temas que a sociedade enfrenta e disse “que bom seria fechar lojas de armas e abrir escolas”.  (Mercedes Guzmán – Fotos: Áida Fernandes)

Roberto Brasil