David Almeida diz que BR-319 é trafegável e não tem impeditivo ambiental para asfaltar

By -

“Em dez dias de inspeção pela BR-319, técnicos do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) não encontraram nenhum impasse ambiental que justifique o não asfaltamento da rodovia, que liga Manaus a Porto Velho (RO). A afirmação foi feita nesta terça-feira (21), pelo presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado David Almeida.

O parlamentar, na companhia dos deputados Abdala Fraxe, Platiny Soares e Francisco Souza, com apoio do Exército Brasileiro e outras entidades, realizou uma expedição de quatro dias por 2.400 quilômetros, pelas rodovias BR-319 e BR-230, a Transamazônica. E foi no quilômetro 400 que David obteve a informação sobre o Ibama, ao encontrar o superintendente regional do Amazonas do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), Fábio Galvão.

“Nós encontramos o superintendente do Dnit, no quilômetro 400, de Manaus à Humaitá, e fiquei sabendo que o Ibama esteve presente fazendo inspeção durante 10 dias nessa rodovia, e não encontrou nenhum problema, nenhum impasse ambiental”, comentou David.

O presidente da Aleam disse ainda que, durante a viagem pela estrada, de Manaus a Humaitá, de Humaitá a Lábrea, de Lábrea a Humaitá e de Humaitá a Apuí, a expedição não encontrou nenhum animal silvestre transitando ou atravessando a rodovia, como também não viu nenhum animal morto ao redor da rodovia.

David observou que, depois da expedição, voltou com a convicção de que a estrada existe e tem trafegabilidade, mas, falta a união e vontade política para conquistar o asfalto que a BR-319 tem, por exemplo, no trecho de Rondônia. “Hoje temos pelo menos quatro empresas de ônibus que fazem esse percurso diariamente. É possível trafegar no limite de velocidade permitido, numa estrada que hoje é de piçarra e barro”, afirmou o parlamentar.

O deputado lembrou que, no ano passado, parlamentares de Rondônia e do Acre vieram ao Amazonas pedir o apoio para reforçar a luta pelo asfaltamento da BR-319, no trecho do território amazonense. Contou que na ocasião, ele disse faria o trecho de volta para conhecer a situação da BR-319 e da BR-230.

“Por que a BR-319 é asfaltada no trecho de Rondônia e não é no Amazonas? Por falta de entendimento entre os políticos do nosso Estado. Agora, sabe por que os deputados, senadores e governadores do Acre e de Rondônia vieram aqui? Porque quando o interesse é do povo, eles se unem independentemente de bandeiras partidárias. E é isso que queremos fazer aqui. Unir as forças do Amazonas para realizar o sonho dos amazonenses de sair do isolamento”, disse.

David Almeida afirmou que, atualmente o Dnit do Estado do Amazonas, tem três frentes de obras de manutenção e recuperação no Amazonas, sendo uma no percurso dos 405 quilômetros, do trecho do meio, outra no trecho de Humaitá a Lábrea, da BR-230, Transamazônica, e também no trecho de Humaitá a Santo Antônio do Matupi. “E agora falta levar a recuperação lá na estrada de Matupi até Apuí”, avaliou.

O presidente da Aleam afirmou que não prometeu fazer o asfaltamento dessa importante rodovia. Mas, reafirmou que junto com os colegas deputados irá bater nas portas do Ministério da Integração Nacional, Ministério dos Transportes, da Casa Civil da Presidência da República, no Ibama, no ICMBio, do Ministério do Meio Ambiente. “Vamos buscar encontrar a solução para que nós possamos dar ao povo amazonense que vive no entorno da BR-319 a condição de trafegar nesta rodovia asfaltada”, concluiu.

Roberto Brasil