David Almeida chega ao Fórum de Governadores com discurso forte em defesa da Amazônia

By -

O governador do Amazonas, David Almeida, desembarcou na tarde desta quinta-feira, 10 de agosto, em Cuiabá (MT), para participar do Fórum de Governadores com um recado pronto para compartilhar com os outros oito governadores dos estados da Amazônia Legal:  é preciso que a prioridade da Amazônia não fique apenas nos discursos.

David Almeida considera que, a Amazônia tem plenas condições de ser uma alternativa concreta de desenvolvimento para o Brasil, mas precisa do apoio do Governo Federal. O governador disse que é preciso defender o desenvolvimento integrado da Amazônia, bem como a integração com o restante do Brasil. Mas, para isso, questões cruciais, como a logística, precisam ser priorizadas. 

A conclusão da BR-319 é um exemplo, segundo David. Ao longo dos anos, o Governo Federal tem deixado de reconhecer que a rodovia é um eixo de integração regional que pode ajudar muito no desenvolvimento da região. A estrada ajuda a integrar diretamente pelo menos três estados: Amazonas, Roraima e Rondônia, além de ser a porta de saída para a integração com o restante do país. 

A Zona Franca de Manaus, que é um dos mais importantes polos industriais do país, não possui uma via terrestre de escoamento para o seu mercado consumidor, por conta da falta de sensibilidade do governo brasileiro. Segundo o governador, por ter uma grande importância econômica na Amazônia, a ZFM merecia ser tratada de outra forma. Além da questão ambiental, o polo industrial de Manaus tem uma importância para a soberania do País.  

Segundo David, é necessário dar à Amazônia a importância que ela realmente tem, viabilizando todo o potencial existente na região, desde riquezas minerais a diversidade de peixes, a existência de água potável e sua natureza rica e preservada. Ele lembra que a Amazônia Legal é constituída de nove estados e representa 61% do território nacional.

O reforço da vigilância nas fronteiras para combater o narcotráfico e a biopirataria será outro ponto defendido por ele.

*Com informações da Secom

Roberto Brasil