CUT demite, quem diria

By -

Central decide cortar 60% dos gastos com folha de pagamento (Foto: Rovena Rosa/ABr)

Os empregados da Central Única dos Trabalhadores (CUT) ameaçam entrar em greve nos próximos dias após anúncio de um Programa de Demissão Incentivada (PDI).

A CUT, que sempre se posiciona contra programas de demissão voluntária e estimula greves por essa razão nas empresas, agora alega, quem diria, a necessidade enxugar gastos com a folha de pagamento, “asfixiada” com o fim da obrigatoriedade do imposto sindical, decidida na reforma trabalhista que entrou em vigor no último sábado (11).

Com o programa de demissão, a CUT, que tem ao todo 178 empregados, quer cortar 60% das despesas com pessoal. Desse modo, o restante das atividades da central poderão ser mantidos.

Se até o dia 4 de dezembro, quando se encerra o PDI, o programa não tiver adesão, a CUT começará a demitir até que se alcance o percentual estipulado.

A redução na folha de pagamento não é uma medida apenas da CUT. Outros sindicatos estão tomando decisões semelhantes após o fim das contribuições sindicais obrigatórias. A Confederação Nacional dos Metalúrgicos é uma delas. / DIÁRIO DO PODER

Roberto Brasil