CRO-AM combate falsos dentistas no interior

By -
Apenas o cirurgião- dentista é capacitado e autorizado a fazer procedimentos na boca do paciente, alertou João Franco

Apenas o cirurgião- dentista é capacitado e autorizado a fazer procedimentos na boca do paciente, alertou João Franco

O Conselho Regional de Odontologia do Amazonas (CRO-AM) intensificou nos últimos dias a fiscalização nos municípios do interior do Estado, começando pelas cidades da Região Metropolitana de Manaus. A principal irregularidade flagrada pelo órgão é a prática ilegal da profissão exercida por pessoas sem formação, os chamados práticos.

De acordo com o presidente do CRO-AM, João Franco, o Conselho está seguindo o cronograma de fiscalização 2015. Ele destaca que além da parte de coibir o exercício ilegal, as visitas aos municípios também servem para levar informações aos profissionais registrados que atuam nessas localidades.

Materiais mal acondicionados e equipamentos sucateados podem trazer danos irreversíveis aos pacientes

Materiais mal acondicionados e equipamentos impróprios podem trazer danos irreversíveis aos pacientes

Nos últimos dias foram visitados os municípios de Novo Airão, Manacapuru, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva e Iranduba. Ele ressalta que a deficiência de profissionais no interior é uma realidade não apenas no Amazonas, mas na maioria dos Estados do País, já que grande parte dos profissionais está concentrada na capital. “Nossas ações visam impedir que pessoas sem nenhum tipo de formação atendam e coloquem em risco à saúde da população”, disse.

Em alguns municípios, o presidente informou que a fiscalização abordou diversos estabelecimentos identificados como ‘consultórios’, sem nenhum tipo de condições sanitárias e de higiene para atendimento. “Além de práticos atuando nesses locais, constatamos equipamentos e materiais acondicionados no chão, sem nenhum tipo de higiene”, disse Franco.

cro-fiscalização-02O presidente do CRO-AM alerta que somente o cirurgião- dentista é capacitado e autorizado a fazer procedimentos na boca do paciente, garantindo a saúde e o bem-estar do paciente. “A prática ilegal pode resultar em complicações graves como a contaminação por doenças: Hepatite, HIV, herpes e infecções bacterianas, ocasionadas pela falta de higiene ou esterilização inadequada de equipamentos entre outros”, afirmou.

Conforme informou que o Amazonas tem, aproximadamente, 4 mil profissionais inscritos.  A população pode ajudar no combate aos falsos dentistas denunciando para o conselho e ainda para os órgãos de polícia, já que o exercício ilegal da profissão é um crime previsto no Código Penal Brasileiro (CPB). O CRO Amazonas possui sede na Rua Silva Ramos, nº 71, no Centro de Manaus. As denúncias podem também ser feitas pelo 0800 284 1380 e pelo telefone 3131-2200.

Roberto Brasil