Crise na Saúde: Mário Frota aconselha a venda da Arena da Amazônia e da Petrobras

By -
Ver. Mário Frota

Ver. Mário Frota

O vereador Mário Frota (PHS) ao discursar da tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta segunda-feira (30/Mai), disse que, ao assistir um jornal de televisão, hoje pela manhã, se deparou com a reportagem mostrando uma manifestação de rua, cheia de pessoas indignadas devido as mudanças no setor de saúde anunciada pelo governador José Melo (Pros).

Esses manifestantes, segundo Mário, não querem abrir mão de um direito adquirido, com muita dificuldade, ao longo dos últimos 20 anos quando foram surgindo os SPAs (Serviços de Pronto Atendimento), Policlínicas, Caics (Centros de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente), e Caimis (Centros de Atenção Integral à Melhor Idade). “O governador José Melo tem agir rápido para conter essa situação catastrófica criada pelo governo do Partido dos Trabalhadores (PT), ao longo dos últimos 13 anos de desmandos políticos. Como bom brasileiro, estou torcendo e rezando ao mesmo tempo para que os ministros da área de economia do presidente em exercício, Michel Temer, resolva essa situação”.

Por outro lado o parlamentar reconhece que o novo presidente não vai tirar o Brasil da crise como num passe de mágica porque só tem 16 dias de administração, pois quem deveria ter feito esse trabalho era o governo que ele sucedeu. Sendo assim, não dá para culpar o governador José Melo pela crise que tomou conta do país e tingiu o Amazonas, fazendo com que ele tomasse medidas austeras para equilibrar a economia do Estado.

Para Mário Frota, todas essas unidades de saúde, que estão em processo de fechamento e mudanças, merecem uma análise mais profunda e com muita responsabilidade por parte do médico Pedro Elias de Souza, Secretário de Saúde do Estado, para não trazer prejuízos e incertezas à população menos favorecida, porém ele recomenda que o governo pondere sua decisão com relação ao fechamento do SPA de São Raimundo. “Esse serviço de pronto socorro atende aos moradores de São Raimundo, Aparecida, Cento, Matinha, Glória, Santo Antônio, São Jorge, Vila da Prata e dos ribeirinhos que chegam doentes pelo porto da Manaus Moderna e adjacências, vindos das comunidades rurais onde não existe esse tipo de atendimento”, lembra o vereador.

Com o objetivo de sanar parte da crise que tomou conta do país, Mário Frota aconselha ao governador José Melo a venda da Arena da Amazônia e ao presidente Michel Temer ele sugere a privatização de parte da Petrobras. “Com a venda da Arena da Amazônia, José Melo vai recuperar os R$ 757,5 milhões gastos com esse elefante branco, além de economizar R$ 700 mil que o Estado gasta mensalmente com a manutenção desse estádio. Quanto à privatização da Petrobras, que se tornou cabide de emprego no governo do PT, a União vai poder enxugar a máquina da estatal, além de torna-la mais eficiente e competitiva no mercado internacional. Isso deu certo no governo de FHC quando ele privatizou a Vale do Rio Doce, a Embraer e a Embratel, por exemplo, mas ainda existe a pressão de uma ala do antigo governo que quer salvar a nossa petrolífera com uma carga maior de impostos, mas o Estado não tem talento para ser empresário porque na política, em muitos casos, prevalece a máxima da Oração de São Francisco de Assis: ‘é dando que se recebe’”, ironiza.

Mario Dantas