CPI do Senado fará Audiência Pública nesta sexta-feira sobre assassinato de jovens

By -

AUDIENCIA_SENADO-FEDERAL_CRIMESAcontece às 9h desta sexta-feira (4), Audiência Pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Assassinato de Jovens do Senado Federal, para debater as políticas públicas de combate à violência contra jovens no Estado do Amazonas. A discussão acontece no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), com a presença do relator da CPI, senador Lindbergh Farias (PT/RJ), da senadora Vanessa Graziontin (PCdoB), membro da Comissão, e do presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa da Aleam, deputado José Ricardo Wendling (PT).

De acordo com a organização do evento, esta audiência será realizada em caráter interativo, com a possibilidade de participação popular de todo o País. Por isso, as pessoas interessadas podem fazer comentários e perguntas por meio do Portal e-Cidadania (www.senado.leg.br/ecidadania) e do Alô Senado (0800-612211).

Para o deputado José Ricardo é importante a vinda dessa CPI para o Amazonas, já que os números mostram que os adolescentes são as maiores vítimas, e não os principais autores da violência. “O extermínio de jovens é evidente. De 1981 a 2010, mais de 176 mil crianças e adolescentes foram mortos no Brasil. Em 2010, foram em média 24 por dia. E, segundo o Mapa da Violência 2015, Manaus é a terceira capital com maior número de assassinato de jovens por arma de fogo. De 2002 a 2012, ou seja, em dez anos, esses números cresceram 323,5% na capital amazonense”, revelou.

O deputado acrescentou ainda que o Instituto de Pesquisas Aplicadas (IPEA) aponta que o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) do Amazonas está muito alto, em torno de 80,6% dos municípios, figurando com o maior percentual da região Norte. José Ricardo entende que o crime organizado e o tráfico de drogas recrutam muitos adolescentes e, sob ameaça, os envolve nas infrações e atos de violência. “Uma prisão da qual muitos somente saem com a morte”, disse ele, ressaltando que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) diz que “investir em educação de qualidade e em políticas públicas para a juventude e para a família é o meio mais eficaz para preservar os adolescentes da delinquência e da violência”.

Para essa Audiência Pública foram convidados, dentre outros órgãos e entidades: Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (Tjam), Comando Geral da Polícia Militar (PMAM), Delegacia Geral de Polícia Civil (DGPC), Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) do Amazonas, Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa da Assembleia Legislativa do Estado (CDHCLP/Aleam), Comissão de Direitos Humanos da OAB/AM, Cáritas Arquidiocesana, Pastoral da Juventude e Conselho Estadual da Juventude.

Roberto Brasil