CPI do BNDES convida ministro Armando Monteiro

By -
Min. Armando Monteiro

Min. Armando Monteiro

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades em contratos do BNDES terá acesso, nos próximos dias, a informações e documentos da Controladoria Geral da União (CGU), do Tribunal de Contas da União (TCU) e de empresas sob investigação.

Na audiência desta quinta-feira (5), sob comando do presidente da Comissão, deputado Marcos Rotta (PMDB-AM), os parlamentares aprovaram também o convite ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, e do presidente e do diretor financeiro da OI Telecomunicações.

Ao todo, foram 15 requerimentos aprovados, como a solicitação de cópias de contratos e demais informações e financiamentos do BNDES com a Usina São Fernando Açúcar e Álcool, do empresário e pecuarista José Carlos Bumlai.

Os parlamentares, no entanto, não chegaram a um acordo sobre a convocação do empresário. A discussão foi interrompida pela ordem do dia, que havia sido iniciada no plenário da Câmara dos Deputados.

“A reunião foi claramente um rolo compressor, pois o governo mobilizou sua bancada”, ressaltouRotta

“A reunião foi claramente um rolo compressor, pois o governo mobilizou sua bancada”, ressaltou Rotta

Outras convocações requeridas, como a do ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci, e do procurador do Ministério Público junto ao TCU, Marinus Marsico, não foram aprovadas devido à mobilização da base governista.

“A reunião foi claramente um rolo compressor, pois o governo mobilizou sua bancada”, ressaltou o deputado Marcos Rotta. “Nos causou surpresa essa postura, sobretudo na questão do ministro do TCU, que poderia vir prestar esclarecimentos”, acrescentou.

Na avaliação do presidente da CPI, a postura da base foi um “fato isolado”. Para o deputado, a investigação precisa continuar avançando.

“Tomara que todos os parlamentares que a integram tenham essa sensibilidade que nós precisamos cada vez mais investigar. Somente ouvindo as pessoas, requerendo as documentações é que nós vamos conseguir atingir nosso objetivo, que é esclarecer os fatos e alcançar a transparência”, apontou.

Ao final da reunião, ficou decidida a convocação do empresário Eike Batista para o dia 17 de novembro, pela manhã, por sugestão do presidente da Comissão. No mesmo dia, à tarde, Batista será ouvido pela CPI dos Fundos de Pensão.

Roberto Brasil