Corpo do cantor Melvino de Jesus foi enterrado com as ‘balas’ e será exumado

By -

Pouco mais de um mês do assassinato do cantor de axé Melvino de Jesus Júnior, o corpo precisará ser exumado para continuar as investigações. Conforme informações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a exumação acontecerá na segunda-feira (12) pela manhã, ainda sem horário confirmado.

De acordo com a viúva do líder do grupo Júnior e Banda, Jaqueline Vilhena, a família recebeu a notícia sobre a necessidade de exumação pouco tempo depois do sepultamento. O artista foi enterrado dia primeiro de maio no cemitério Parque Tarumã. “Isto nos foi comunicado logo na semana seguinte ao sepultamento”, destaca.

O homicídio ocorreu no município de Codajás, a 297 quilômetros em linha reta de Manaus. Jaqueline pontua que, em virtude da cidade não possuir Instituto Médico Legal (IML), o corpo foi encaminhado à capital amazonense sem a retirada das balas que culminaram na morte de Melvino. Foram três tiros no peito.

“Foi feito o preparo para fazer o traslado do corpo. Como não sabíamos da necessidade de ir ao IML, o corpo foi direto para a funerária. Não foi má intenção, nem culpa nenhuma por parte de ninguém. Foi apenas falta de informação devido à brutalidade de tudo que aconteceu”, detalha.

Jaqueline afirma que o procedimento foi autorizado logo após a comunicação da polícia. No entanto, por conta de questões burocráticas, acontecerá somente na próxima semana. “Isto vai ocorrer apenas para finalizar o inquérito”, pontua.

Questionado se a exumação seria necessária para comparar com a possível arma do crime, o titular da DEHS, Juan Valério, preferiu não revelar o objetivo da exumação, asseverando que isto pode atrapalhar as investigações. “De acordo com o andamento de nossa investigação, houve necessidade de realizar uma perícia complementar, para sanar alguns pontos. Durante a semana iremos fazer um balanço do andamento das investigações”, observa.

Entenda o caso

O cantor Melvino de Jesus Júnior, líder do grupo Júnior e Banda, foi assassinado na noite do dia 29 de abril, no município de Codajás. Ele estava na cidade para se apresentar com sua banda na Festa do Açaí, uma das mais tradicionais festas do interior do Estado.

Conforme relatos de policiais, ele estava chegando ao hotel quando foi baleado com pelo menos três tiros no peito.

(Com PORTAL A CRÍTICA)

Roberto Brasil