‘Copinha Santa Bola’ realiza final no Colégio Militar da PM

By -

copinha-santa-bola1No último final de semana aconteceu a final da “Copinha Santa Bola”, que marca as comemorações de um ano do Projeto Santa Bola, desenvolvido pela Polícia Militar, que atende a 600 crianças no bairro Santa Etelvina e Conjunto Viver Melhor, na zona norte. O evento foi realizado no Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM II), no bairro Cidade Nova, zona norte.

Segundo o major Emerson Figueiredo, comandante da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o projeto é uma maneira de evitar que crianças e adolescentes utilizem o seu tempo ocioso para se envolver com a criminalidade. Além de aulas de futebol e futsal, os policiais também ministram aulas de cidadania e prevenção à violência e fazem o acompanhamento dos alunos na escola. O projeto atende meninos entre 7 e 17 anos.

copinha-santa-bola2“O projeto surgiu da necessidade de se aproximar mais da comunidade. Nós percebemos que havia uma necessidade de dar uma atenção maior às crianças devido à questão da ociosidade do tempo em que estão fora da escola”, afirmou o major.

Categorias – Aproximadamente 100 crianças participaram da final do futsal, divididas nas categorias Mirim, Pré-Mirim e Infanto-Juvenil. O estudante João Luiz Farias do Nascimento, 12, contou que já teve leucemia e hoje pode praticar uma atividade física, graças ao projeto.

“Antes, minha mãe não deixava eu sair de casa. Então, quando chegou o projeto no Viver Melhor, eu pude sair de casa pra jogar futebol. Foi um grande avanço pra mim, eu melhorei na escola também. É muito bom”, disse João Luiz.

copinha-santa-bola3A merendeira Leonilza Monteiro Moraes, 41, tem um filho de 9 anos que participa do Santa Bola. Ela ressaltou a importância da ação para as mães que trabalham e também pela melhora no desempenho escolar das crianças que participam do projeto.

“Pra mim que sou mãe e trabalho, eu sinto que meu filho agora não fica à toa nem exposto a qualquer perigo. Agora saio tranquila para trabalhar porque sei que ele está seguro. Antes eu saía e ficava aflita. E muita coisa melhora, porque não é só jogar bola, os professores cobram dele notas boas e que ele vá bem na escola”, contou Leonilza.

A primeira fase foi implantada no bairro Santa Etelvina e, posteriormente, no Conjunto Viver Melhor. No Conjunto Residencial Viver Melhor, o projeto começou a funcionar em novembro de 2013 e já conta com aproximadamente 400 meninos, entre 7 e 17 anos.

Mixed Martial Arts – Dois moradores voluntários e outros dois policiais militares atuam como instrutores e treinam os meninos. Atualmente são oferecidas aulas de futebol, futsal e, futuramente, também serão ministradas aulas de MMA. O projeto conta com apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e de empresários da zona norte

Roberto Brasil