Concultura promove seminário “Manaus em Debate”

By -

Marcio Souza                                                                                                 Márcio Souza

O Conselho Municipal de Cultura (Concultura) promove durante toda essa semana o seminário “Manaus em Debate”, com a distribuição da revista em quadrinhos “História de Manaus”. Realizado há três anos, o projeto, que tem apoio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), proporciona a estudantes e à comunidade em geral, com intermédio de profissionais renomados, uma discussão de temas voltados à história e cidadania. De segunda, até sexta-feira, 4, o seminário vai ocorrer no Assentamento do Povo Indígena do Sol Nascente (Avenida Itaberaba, Conjunto Francisca Mendes 2, bairro Cidade Nova, zona Norte), das 19h às 21h, com entrada gratuita.

O presidente do Concultura, Márcio Souza, explica que todos os palestrantes são especialistas na área e possuem um olhar crítico sobre a arte, cultura e urbanidade da cidade, além de contextualizarem os temas com a história da região amazônica. “Queremos discutir Manaus, fazer as pessoas observarem o que está ocorrendo ao seu redor. Afinal, apesar de ser dentro da escola, não é um evento só para estudantes: vão os pais, amigos e vizinhos durante a semana toda. Na última edição, tivemos uma plateia de 500 pessoas por dia”, disse Souza.

Professor há 47 anos, o poeta, músico e vice-presidente do Concultura, Celdo Braga, leva sua experiência de sala de aula aliada ao conhecimento artístico para o seminário. Ele é um dos palestrantes e apresentará uma temática voltada ao som e aos elementos amazônicos. “Qual a relação das pessoas de hoje com a sua cidade? Isso me pertence, isso se parece comigo? Antigamente era assim, como está hoje? Essa reflexão é que queremos provocar”, disse Celdo Braga.

Conteúdo programático

O seminário ocorre durante cinco dias, cada dia com um tema e duas horas de duração. A abertura fica por conta da historiadora, jornalista e professora Etelvina Garcia, que apresenta “Manaus, da Colônia ao Império”  e “Manaus, do Império à República”, respectivamente nesta segunda e terça-feira.

No terceiro dia, o músico e professor Celdo Braga apresenta o tema “Conexão poética e sonora com elementos da Amazônia”. No penúltimo dia de seminário, o professor e doutor em Engenharia de Transportes Geraldo Alves aborda o tema “Manaus, do encanto do bonde à dureza do mototáxi: sujeitos e suas ações”. Já no último dia, o “Manaus em Debate” conta com uma apresentação teatral e distribuição de uma revista em quadrinhos que conta a história de Manaus. “Ao final de cada exposição, há um bate-papo com a plateia para discutir o tema abordado”, reforça Márcio Souza.

Quadrinhos

Apoio didático do projeto do Concultura “Manaus em Debate”, a revista em quadrinhos “História de Manaus” foi lançada durante o Teatro Gourmet, evento realizado pelo Manauscult em agosto.

Com 32 páginas, a revista utiliza a linguagem dos quadrinhos, com diálogos mais informais, para contar os principais momentos históricos da cidade de Manaus, desde o período de Marquês de Pombal até os primeiros momentos da carreira do professor e político Gilberto Mestrinho, ainda na década de 50. Movimentos e personalidades culturais, como o Clube da Madrugada, o maestro Cláudio Santoro e o cineasta Silvino Santos também são ressaltados na obra.

O roteiro é baseado nas obras da escritora e historiadora Etelvina Garcia, entre elas “Manaus, Referências da História” e “O Amazonas em Três Momentos”. A tiragem é de dois mil exemplares, com distribuição gratuita. A coordenação é de Márcio Souza, com apoio dos membros do Concultura.

Mario Dantas