Comissão vai analisar Plano de Combate à Violência Contra a Mulher

By -
Apesar da Lei Maria da Penha, vítimas ainda têm medo de denunciar agressores

Apesar da Lei Maria da Penha, vítimas ainda têm medo de denunciar agressores

A Comissão Mista de Combate à Violência contra a Mulher tem reunião na tarde desta terça-feira (30), para analisar o plano de trabalho proposto pela relatora, deputada Luizianne Lins (PT-CE), e votar requerimentos. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) apresentou requerimento para que a comissão visite as regiões do país com o objetivo de conhecer as políticas públicas para o enfrentamento à violência contra as mulheres.

Comissão vai analisar plano de combate à violência contra a mulherComissão vai analisar plano de combate à violência contra a mulher “Em todas as regiões, apenas nos primeiros seis meses de 2014, foram registradas milhares de ocorrências de violência contra a mulher. Dessa forma, impõe-se a esta comissão o dever de verificar o que vem sendo feito em cada região para combater essa intolerável violência”, argumenta a senadora no requerimento.

Há também uma solicitação da deputada Tia Eron (PRB-BA) para que seja feita audiência pública com a ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci e outras autoridades. O propósito é colher subsídios para a votação do projeto (PL 5.555/2013) em votação na Câmara e que inclui entre as formas de violência previstas na Lei Maria da Penha as condutas ofensivas contra a mulher na Internet ou em outros meios de propagação da informação.

Outro requerimento que deve ser votado na terça-feira solicita que um grupo de parlamentares vá ao Piauí visitar as famílias de quatro meninas estupradas e agredidas. O crime aconteceu em maio deste ano na cidade de Castelo do Piauí. Um das menores morreu cerca de dez dias após a agressão. A deputada Iracema Portella (PP-PI) defende a punição “exemplar” dos culpados. AGÊNCIA SENADO

Roberto Brasil