Comissão do impeachment elege relator tucano sob protestos do PT

By -
O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da comissão do impeachment no Senado

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator da comissão do impeachment no Senado

Sob intenso protesto dos senadores governistas da comissão especial do impeachment no Senado, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) foi eleito nesta terça (26) para relatar o processo que pode afastar a presidente Dilma Rousseff e levá-la à perda do mandato.

A eleição foi feita por votação simbólica e teve o voto contrário dos cinco senadores que defendem a permanência da presidente no cargo. O presidente da comissão, Raimundo Lira (PMDB-PB), também eleito nesta sessão, não votou.

A confirmação de Anastasia como relator foi a primeira consequência prática da fragilidade do governo na comissão. Dos 21 titulares do colegiado, apenas cinco são declaradamente favoráveis à Dilma e votarão contra a abertura do processo de impeachment.

Para os governistas, Anastasia, nome ligado ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), deveria ter sido considerado suspeito para o cargo por ser de um partido declaradamente interessado na saída da presidente. Sua indicação foi considerada uma “provocação” pelo grupo. “Essa comissão está cometendo um equívoco com essa eleição”, afirmou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

Eles tentaram convencer o plenário a indicar um outro nome, mas foram derrotados pela maioria. Os oposicionistas chegaram a sugerir que o governo fizesse uma indicação para ir a voto mas, diante da derrota certa, a base aliada de Dilma optou por não arriscar.

Quieto durante toda a sessão, Anastasia fez um breve discurso à comissão. “Queria muito agradecer a confiança dos meus pares e queria fazer referência a uma frase famosa do ex-presidente Juscelino Kubitschek que uma vez disse que Deus o poupou do sentimento do medo. Eu quero parafraseá-lo e dizer que Deus me concedeu o dom da serenidade”, disse.

O senador é mestre em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, torcedor do Atlético Mineiro, tendo sido homenageado pelo clube em 2004.

(Com Folhapress)

Roberto Brasil