Comissão de Educação recebe comissão de pais de alunos do CMPM

By -

deputado-sinesio-campos-e-pais-alunos-cmpm-1O deputado Sinésio Campos (PT), vice-presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), recebeu pais de alunos das oito unidades do Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM) na manhã desta terça-feira (29). Os pais estão buscando apoio dos parlamentares contra a recomendação do Ministério Público do Amazonas (MP-AM) para que não sejam cobradas dos pais dos alunos das escolas da Polícia Militar taxas de matrícula, rematrícula, aquisição de material, fardamento ou de qualquer outra natureza.

Durante a reunião, o deputado Sinésio Campos solicitou que os pais reúnam os documentos sobre o pagamento das taxas e aplicação das mesmas, bem como a posição do MP-AM, que considera que o pagamento dessas taxas, mesmo que de forma voluntária, fere o princípio da gratuidade do ensino público estabelecido pela Constituição Federal.

“Eu entendo que o diálogo e entendimento entre o Ministério Público e a Aleam é imprescindível”, afirmou o deputado, que agendou uma reunião da Comissão com os pais para a próxima quarta-feira (30), às 9h, no miniplenário Cônego Azevedo, no térreo da Aleam. “Vamos analisar os documentos e a recomendação dada pelo MP, e vamos buscar um caminho que seja bom para todos”, afirmou Sinésio.

Segundo Gisele Santos, mãe de dois alunos do CMPM – Unidade VI, e membro do Conselho Fiscal da Associação de Pais, Mestres e Comunitários (APMC), as taxas atualmente variam de R$ 20 a R$40, e são pagas de maneira voluntária pelos pais. “Esses valores arrecadados, pagos voluntariamente, permitem, por exemplo, que sejam executados com rapidez serviços de manutenção nas escolas, ou pagamento de professores de reforço para os alunos”, explicou a mãe.

Marcelo Lima, pai de alunos do CMPM – Unidade VIII, informou que é pago um valor único, independente do número de filhos. “É estipulada apenas uma taxa por CPF. Eu tenho dois filhos que estudam na Unidade VIII, e pago apenas por um”, afirmou, acrescentando que cada unidade arrecada suas taxas da APMC e que os gestores prestam contata constantemente aos pais.

Roberto Brasil