Comissão da Mulher vai acompanhar caso de violência na Moura Tapajóz

By -

Dep. Alessandra Campêlo

A deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB) informou que a Comissão da Mulher das Famílias e do Idoso da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) vai acompanhar de perto o caso em que dois funcionários da Maternidade Moura Tapajós, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus, foram denunciados por estupro de uma mulher de 25 anos que havia acabado de fazer um parto por cesariana.

“A Comissão da Mulher, a qual eu presido, vai acompanhar investigação sobre o estupro na Maternidade Moura Tapajóz. Isso não é incomum, mulheres quando vão à maternidade serem molestadas, assediadas, mulheres serem tocadas não de forma técnica ou médica por homens, isso acontece cotidianamente”, disse Alessandra, condenando qualquer tipo de violência contra as mulheres.

De acordo com a Polícia Civil, o fato ocorreu no início da noite de domingo (2). O marido da vítima relatou em depoimento que estava dentro da sala de parto quando os dois homens, vestidos com jalecos verdes, se aproximaram de sua companheira e começaram a tocá-la em partes íntimas. Os funcionários acusados vão responder por estupro de vulnerável, uma vez que a vítima estava sedada e inconsciente.

Mulheres ganham menos, diz IBGE

Alessandra também comentou a pesquisa que dá conta de que as mulheres tiveram remuneração média 23,6% menor que a de homens em 2015. A constatação foi feita pelo Cadastro Central de Empresas (Cempre), divulgado na última quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o levantamento, enquanto as mulheres tiveram salário médio mensal de R$ 2.191,59, os homens receberam, em média, R$ 2.708,22 por mês.

“Essa pesquisa mostra que nós, mulheres, continuamos recebendo muito menos que os homens, ocupando os mesmos cargos e tendo as mesmas funções. Isso é inaceitável”, comentou Alessandra.

Roberto Brasil