Comissão da Câmara recebe terceirizados da Saúde

By -

comdec-e-terceirizados-saude-1A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de Manaus (Comdec/CMM) vai reunir, na próxima semana, com representantes da Casa Civil, Ministério Público Estadual, Delegacia Regional do Trabalho, União Sindical e da Defensoria Pública para saber quais providências tomadas a respeito da situação dos trabalhadores terceirizados da empresa Medical, que atuam no serviço geral do Hospital João Lúcio e Joãozinho, zona Leste de Manaus.

A decisão foi tomada na manhã desta quinta-feira (29), após reunião com um grupo de trabalhadores que reivindica pagamento de direitos rescisórios, atualização de salários, repasse do vale-transporte e entrega de Carteiras de Trabalho.

O coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em santas casas, entidades filantrópicas, beneficentes e religiosas e em estabelecimentos de serviços de saúde do Estado do Amazonas (Sindpriv), Ailson Albuquerque, mencionou que, além da Medical, outras empresas do mesmo grupo empresarial também estão em débito com trabalhadores.

comdec-e-terceirizados-saude-2Albuquerque disse que o Sindpriv já vem trabalhando na questão em parceria com o Ministério Público do Trabalho e garantiu acompanhar a Comissão da Câmara para compreender melhor o problema e cobrar dos órgãos competentes um posicionamento mais rígido para resolver às reivindicações dos trabalhadores. “Já tivemos várias reuniões com o secretário de Saúde do Estado, mas até o momento não nos informaram nada a respeito dessas empresas que não cumprem os contratos”, observou o coordenador.

Indignada pela falta de pagamentos do décimo, férias, rescisão, além dos constrangimentos por parte da Medical, Tarcicleide Paixão, ex-encarregada de Serviço Geral da Medical, no Hospital João Lúcio, disse que os funcionários estão sendo destratados. “Esperamos, após os encaminhamentos da Comissão do Consumidor, receber todos os nossos direitos trabalhistas”, disse Tarcicleide.

A reunião contou com a presença de representantes da União Sindical, Ministério do Trabalho e da Defensoria Pública do Estado.

Roberto Brasil