Começa o período de defeso de sete peixes na Amazônia

By -

Começa neste dia 15 de novembro o período de defeso nos rios da Amazônia. Até o dia 15 de março de 2018 a pesca, captura e comercialização de algumas espécies estão proibidas na região. As espécies que não podem ser pescadas, capturadas ou comercializadas são: surubim, caparari, aruana, mapara, pacu, pirapitinga e sardinha.

A coordenadora de recursos pesqueiros do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM), Nonata Lopes explica que o defeso é a época de reprodução dos peixes, por esse motivo é o período mais fácil de ser capturado.

Por que há restrições à pesca durante o Defeso?

Durante o defeso, o apelo para conservação da espécie é tão intenso que os peixes se descuidam de suas estratégias de proteção. Tornam-se presa fácil. A viagem de centenas de quilômetros os deixa extenuados, e muitos pescadores aproveitam-se dessa fragilidade para capturá-los facilmente, e em grandes quantidades. Agindo desse modo, interferem em todo o processo de perpetuação da espécie e renovação dos estoques, que será sentido na diminuição do tamanho dos peixes e na quantidade disponível para a pesca nos anos subsequentes. Por isso é tão importante a proteção dos peixes na época da reprodução.

Seguro Defeso ao Pescador Artesanal

Para evitar que os pescadores fiquem sem renda durante o período de defeso, o governo federal oferece seguro-desemprego para os que têm sua renda afetada pelas proibições. O valor é de um salário mínimo e o pagamento é feito enquanto durar a piracema na região.

Aproximadamente 109 mil pescadores do Amazonas poderão receber o seguro-defeso, que é um benefício no valor de um salário mínimo pago durante o período de reprodução de algumas espécies, quando a pesca fica proibida. Esse período é fixado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Injetando cerca de 422,5 milhões no Estado do Amazonas.

Roberto Brasil