Começa a vazante nos rios amazônicos

By -

vazante-rioDa Redação – A vazante nos rios da bacia Amazônica já está em pleno andamento, uma vez que a enchente deste ano foi uma das maiores dos últimos anos, onde a agricultura e a pecuária foram dois setores que sofreram muitos prejuízos  e agora começam a contabilizar os mesmos.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas, Muni Lourenço, colocou as dependências da Faea a disposição dos associados para que eles possam serem atendidos no que for preciso. Muni esclarece que com a vazante chega também o período da reutilização das áreas de várzea, e que a produção das várzeas sejam reaproveitadas. “Com o inicio da vazante, começa o aproveitamento das áreas de Varzea, áreas férteis, onde o produtor amazonense sabe mito bem utilizar esse tipo de solo, gerando emprego e renda. Consequentemente quem ganha com isso é o consumidor que terá produtos de boa qualidade na mesa com o preço bem aquece cível”,  disse um esperançoso presidente da Faea.

A cheia deste ano afetou, ao todo, 46 cidades no interior do estado:  Itamarati, Guajará, Ipixuna,  Eirunepé, Envira, Juruá, Canutama, Tapauá, Carauari, Pauiní, Lábrea, Beruri, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, Amaturá , Santo Antônio do Iça, São Paulo de Olivença, Tonantins , Tefé, Coari, Fonte Boa, Maraã, Anori, Jutaí, Manacapuru,  Uarini Careiro da várzea, Codajás, Caapiranga, Borba, Itacoatiara, Urucará, Boa Vista do Ramos, Iranduba, Manaus, Parintins , Alvarães, Urucurituba , Manaquiri, Barreirinha, Silves, Autazes, Japurá, Careiro e Maués.

As cidades de Anamã e Boca do Acre, na região do Purus, decretaram Estado de Calamidade Pública. (Kennedy Lyra)

Roberto Brasil