Circuito de bicicletas compartilhadas é definido e instalações começam na segunda quinzena

By -

bike-hapvida-1As localizações das 11 estações do Sistema de Bicicletas Compartilhadas já foram totalmente definidas, contando com a colaboração de órgãos públicos e representantes ligados aos grupos de pedal de Manaus. Os pontos também passaram por análise do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Secretaria de Cultura do Estado e Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), por estarem no Centro Antigo da cidade.

A estação 1 é do Colégio Militar e as demais ficarão na Praça do Congresso, Beneficente Portuguesa, Teatro Amazonas, Galeria Espírito Santo, Praça Dom Pedro II, Praça da Matriz/Eduardo Ribeiro, Praça Heliodoro Balbi, Mercado Municipal Adolpho Lisboa, Igreja N.S. dos Remédios e Parque Jefferson Péres. 

A Samba Transportes Sustentáveis, do Grupo Sertell, é a responsável pela implantação, operação e manutenção do sistema, e assinou Termo de Cooperação com a Prefeitura de Manaus, após sair vencedora do edital de Chamamento Público lançado pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb). 

As estações estão sendo produzidas em módulos e serão transportadas para Manaus, assim como as bikes, via aérea, o que reduz o tempo para sua instalação e implantação. A inauguração está prevista para final do mês. As bicicletas, cujo sistema é alimentado por energia solar, estão sendo fabricadas e são 100% nacionais. Serão 110 bicicletas disponíveis para as 11 estações iniciais, mas a rede poderá ser ampliada futuramente, conforme demanda. 

bike-hapvida-2“A população passará a ter opção alternativa de mobilidade para fazer deslocamentos curtos e rápidos, para ir ao trabalho e para o entretenimento nas vias de baixa velocidade”, explicou o presidente do Implurb, Roberto Moita. O Termo de Cooperação tem prazo de 36 meses e não há ônus para o Município. Para dar sustentabilidade aos custos envolvidos, a Samba terá, em Manaus, o patrocínio da Hapvida.

Como funciona 

As estações têm autoatendimento, possibilitando ao usuário fazer a retirada da bicicleta usando seu celular/aplicativo ou cartão de acesso. O uso do sistema será tarifado, visando a sua operação e manutenção. O passe diário tem valor de R$ 5 ou R$ 10 para uso mensal. Durante a semana, o tempo de utilização da bicicleta é de 1 hora, e nos fins de semana e feriados, de 90 minutos. Na capital amazonense, o sistema funcionará de 5h à meia-noite. 

A proposta é uma iniciativa ligada à mobilidade, que hoje está presente em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Brasília, Salvador, Vitória, Belém, Pernambuco, Porto Alegre, Recife, Belo Horizonte e cidades mundo afora, como Nova York, Paris, Londres e Buenos Aires.

Roberto Brasil