Ciclista iraniano morre após acidente na prova de estrada da Paraolimpíada

By -

iraniano-morre-paralimpiada

O ciclista iraniano Bahman Golbarnezhad, de 48 anos, morreu na tarde deste sábado (17) no Rio de Janeiro. Ele sofreu um grave acidente durante a disputa da prova de ciclismo de estrada das classes C4-5 dos Jogos Paraolímpicos.

O atleta perdeu o controle da bicicleta na Descida do Grumari, área próxima à praia com pequenos penhasco em volta da pista. Segundo técnicos, os atletas atingem velocidades de até 65 km/h no trecho. Golbarnezhad se chocou contra uma mureta, voou de sua bicicleta e acertou o solo de cabeça.

Ele foi atendido no local e transferido ao Hospital Unimed, na Barra da Tijuca, credenciado para o atendimento de voluntários das Paraolimpíadas – o Hospital das Américas, também na Barra, era o credenciado para o atendimento dos atletas. Durante o trajeto, porém, o ciclista sofreu uma parada cardíaca e já chegou ao pronto-socorro sem vida. A reportagem apurou que a causa da morte foi traumatismo craniano, sofrido na queda em velocidade, de cabeça, da altura de um metro.

O acidente aconteceu no final do percurso, mas na primeira volta da prova, que foi interrompida. Sete atletas que estavam atrás do iraniano não terminaram a disputa. A ambulância que estava no local fez o socorro e, por isso, a prova da classe B, para deficientes visuais em bicicleta dupla, foi atrasada em 45 minutos – até que uma nova ambulância chegasse ao local.

O comitê paraolímpico do Irã confirmou a morte às 16h40. “Bahman era um atleta paraolímpico exemplar, que competia com amor e uma energia inextinguível para promover o nome da República Islâmica do Irã. Seu esforço nesse sentido nunca cessou. O povo do Irã está comovido com a tragédia e expressa suas condolências à família”, diz o comunicado (em tradução livre).

Golbarnezhad competia na prova voltada para atletas amputados de membros ou com paralisia cerebral leve. Ele pedalava usando uma prótese na perna esquerda. O ciclista já tinha participado da prova de contrarrelógio no Rio, na quarta-feira (14), terminando na 14ª posição.

Atleta paraolímpico desde 2002, ele estava em sua segunda Paraolimpíada. Em Londres-2012, foi o 23º justamente na prova de estrada. Seu melhor resultado é o quinto lugar dos Jogos Asiáticos de 2014. // UOL Notícias 

Áida Fernandes