Cheia preocupa comerciantes do Centro de Manaus

By -

Área próxima ao Mercado Adolpho Lisboa (Fotos: Euzivaldo Queiroz)

O Centro da cidade começou sofrer com subida das águas do rio Negro. Nesta terça-feira (2), o cota do rio atingiu 28,38 metros, 10 centímetros a mais do registrado no último domingo (30). A expectativa é que 15 bairros sejam afetados se a cota máxima chegar aos 29,95 metros previstos pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM). 

Comerciantes da rua dos Barés começaram a investir em estruturas para colocar as mercadorias caso a cheia chegue à rua comercial. O vendedor Marlyson Nunes, 22, contou que, na última grande cheia, o patrão dele, dono da loja Imaq Máquinas e Motores, teve alguns prejuízos.

“Ele comprou mais prateleiras para subir as máquinas para não sofrer prejuízos como nos anos anteriores e orientou que nós deixássemos os produtos mais fácil de serem trocados de lugar para evitar sermos surpreendidos”, disse.

A reportagem esteve no local e não constatou nenhuma obra emergencial.

(DO PORTAL DA CRÍTICA)

Roberto Brasil