Cheia em Manaus traz doenças e bichos para dentro das casas

By -

Água contaminada pelo lixo jogado nos igarapés está invandindo as casas no bairro Educandos (Foto: Gisele Rodrigues)

Moradores de áreas atingidas pela cheia do Rio Negro, em Manaus, afirmam que cobras, ratos e outros animais já começam a invadir as casas junto com a água dos rios. No último sábado (2), o Rio Negro atingiu a cota de emergência de 29 metros, conforme o serviço hidrográfico do Porto Privatizado de Manaus e os moradores das áreas alagadas na zona sul da capital começam a sentir os impactos da cheia.

A decisão sobre o decreto de emergência deverá será tomada nas próximas horas pelo prefeito Arthur Neto, que fará uma reunião de avaliação sobre a cheia. Ontem, segundo o Porto Privatizado de Manaus, o nível do rio permaneceu em 29 metros.

De acordo com a Defesa Civil de Manaus, o relatório do Departamento de Operações identificou 15 bairros de todas as zonas da cidade que devem ser afetados pela cheia. Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa e Puraquequara, além de 13 comunidades da área ribeirinha estão na lista, segundo o órgão.

No Beco Inocência de Araújo, no bairro do Educandos, moradores relataram que os parentes estão ficando doentes por causa do contato com a água contaminada. Na área, a água dos rios está entrando nas casas e levando também o lixo jogado nos igarapés. “Essa semana minha sobrinha caiu nessa podridão, volta e meia aparece uma cobra. Esse ano está subindo muito rápido o rio e nós não temos para onde ir. Nós estamos com medo”, disse a dona de casa Nanci Batista, 63.

No mesmo beco, Vaneza Santana, 43, conta que a água já invadiu a casa e pelo menos 4 pessoas da família já ficaram doentes, em decorrência do problema. Conforme a dona de casa, o odor forte piora nos dias mais quentes.

“Tá com pouco tempo, todos ficaram doentes, são quatro famílias aqui dentro. Ficamos com diarreia. Minha preocupação mesmo são as crianças”, disse ela.

O bairro já foi atendido, segundo a Defesa Civil Municipal, com passarelas para facilitar o acesso dos moradores às casas. Além do Educandos, São Jorge, Raiz, Presidente Vargas, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida e Centro, Tarumã e Cachoeirinha também já foram atingidos pela cheia e receberam o acesso por passarelas.

Alerta

A previsão do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) é que a cheia em Manaus atinja a cota média de 29,21 metros, ultrapassando em 2,02 metros a enchente do ano passado.

Mesmo que a previsão de cota máxima (29,46 metros) para o ano de 2017 seja atingida, ainda não superaria a marca histórica de cheia em Manaus de 29,97 metros, registrada no dia 29 de maio de 2012.

(Com D24AM)

Roberto Brasil