Celebração de Corpus Christi deve levar mais de 40 mil pessoas ao Centro de Manaus

By -

A igreja católica  celebra hoje a festa de Corpus Christi (Corpo de Cristo). Em Manaus, a Arquidiocese segue com uma programação dividida em três momentos: a celebração eucarística (missa), procissão e benção final, com o santíssimo sacramento (a hóstia consagrada). Para hoje, são esperados mais de 40 mil fiéis, que irão acompanhar as celebrações e percorrer as ruas centrais da cidade, acompanhando a passagem do Santíssimo.

A solenidade sempre ocorre 60 dias após a Páscoa. Neste ano, o festejo tem como tema “Eucaristia, alimento que nos conduz à missão!”. Como no ano passado, às 15h começa a concentração, no palco central, construído na avenida Eduardo Ribeiro, Centro, dos fiéis que irão participar da solenidade.

Logo após, às 16h, está  previsto o início da missa, quando será consagrada a hóstia (pequena rodela de pão ázimo, que é consagrada durante a missa e oferecida aos fiéis na comunhão) e, em seguida, irá percorrer algumas ruas do Centro, na procissão, que partirá da avenida 7 de Setembro, passará pela avenida Joaquim Nabuco e pela rua 10 de Julho, onde haverá uma parada em frente à Santa Casa de Misericórdia para a bênção simbólica dos enfermos, com retorno pela avenida Eduardo Ribeiro. É no destino final, na Eduardo Ribeiro, que será montado o palco para a Adoração ao Santíssimo Sacramento e a benção final.

De acordo com arcebispo de Manaus, dom Sérgio Castriani, o festejo do Corpo de Cristo é uma celebração de união. “A diferença de nós, cristãos católicos, é que acreditamos ma presença real de Cristo na eucaristia. Esta é a fé da igreja católica.  Em toda missa há a consagração do pão e do vinho, que se transformam no corpo e sangue de Cristo. Depois da missa, Jesus continua presente no pão e no vinho. Este que é levado aos doentes e também para as adorações”, comentou.

Conforme o arcebispo de Manaus, há várias tradições ligadas à festa de Corpus Christi. Uma delas, os tapetes confeccionados no meio da rua, não são mais feitos em Manaus por questão de saúde. Mas as outras permanecem vivas. “Se Jesus eucarístico vai passar, precisamos enfeitar as ruas, é uma honraria ao Santíssimo. Em outras cidades se enfeitam as casas, as ruas. A festa surgiu no 13º século, na época de Santo Antônio, como meio do culto eucarístico”, explicou.

Instituida há séculos

A festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano 4º no dia 8 de Setembro de 1264. A procissão de Corpus Christi lembra a caminhada do povo de Deus, peregrino, em busca da Terra Prometida. O Antigo Testamento diz que o povo peregrino foi alimentado com maná, no deserto. Com a instituição da eucaristia, o povo é alimentado com o próprio corpo de Cristo. Já a tradição de enfeitar as ruas começou pela na cidade de Ouro Preto (MG). A procissão pelas vias públicas, é uma recomendação do Código de Direito Canônico,  como um meio de testemunhar a adoração da Santíssima Eucaristia.

‘Saciar fome de afeto’

Para este dia, o papa Francisco explica que a eucaristia não se encerra com a comunhão do corpo e do sangue, mas é a condutora da solidariedade com os outros. O papa afirma que “a eucaristia sacia fome de afeto e misericórdia”.

Quatro ruas do centro da cidade serão percorridas pela procissão: avenidas 7 de Setembro,  Joaquim Nabuco , rua  10 de Julho e, por fim, a avenida Eduardo Ribeiro, onde será a bênção final.

(Com PORTAL A CRÍTICA)

Roberto Brasil