CBF vai coibir protestos políticos em Manaus durante jogo da seleção

By -
Protesto contra o presidente Michel Temer no Mineirão durante a Olimpíada do Rio

Protesto contra o presidente Michel Temer no Mineirão durante a Olimpíada do Rio

Ao contrário do que vinha acontecendo na Olimpíada, a CBF vai reprimir eventuais protestos políticos durante o jogo entre Brasil e Colômbia, pelas eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo.

Assim como o COI (Comitê Olímpico Internacional), a Fifa não permite manifestações políticas e religiosas em partidas oficiais. No Rio, uma decisão judicial permitiu cartazes e faixas de cunho político nas arenas após a retirada de torcedores que protestavam contra o presidente Michel Temer.

A CBF informou que orientou a segurança privada a confiscar material proibido, mas que as pessoas serão liberadas.

Convites distribuídos aos políticos pela CBF

Convites distribuídos aos políticos pela CBF

Alguns políticos identificados com o novo governo foram convidados da tribuna de honra. Entre eles está o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que desistiu de viajar a Manaus para assistir ao jogo.

Encarregado da segurança externa, o governo estadual mobilizou 1.500 servidores para o jogo, mas avalia que há poucas chances de protestos nesta terça (6).

Diferentemente de outras capitais, uma manifestação contra Temer reuniu apenas meia centena de pessoas no último sábado (3), segundo a PM e os organizadores.

Mais ruidoso foi o protesto de torcedores que ficaram de fora do treino da seleção por falta de ingresso, na última sexta (2). Enquanto 15 mil torcedores assistiam a Neymar e companhia, um grupo de insatisfeitos bloqueou com pedras a avenida em frente ao estádio. Acabaram dispersados pela polícia.

*Com informações FOLHAPRESS

Roberto Brasil