Cantora Celestina Maria comemora 60 anos de carreira

By -

Da Redação – Neste sábado (06), no Ao Mirante Clube, no bairro Santo Antônio, zona oeste de Manaus se realizou uma feijoada em homenagem aos 60 anos de carreira da cantora Celestina Maria e dos 40 anos de carreira do cantor Patriarca. A organização foi de Paulo Onofre, criador do Projeto Jaraqui, contando com a participação de vários artistas locais como Pedro Ribeiro, Adal Silva, Léo, Kátia Maria, Nazaré Lacolt, entre outros convidados. Na ocasião foi entregue o pagamento dos prêmios do Festival de Marchinha da Banda do Jaraqui a Léo Santos.

Na oportunidade, a cantora Celestina festejou o seu aniversário (76), tendo sido homenageada também pelos seus 60 anos de carreira. “Eu sou uma privilegiada porque tenho muitos amigos aqui. Sou muito querida. Este reconhecimento é uma coisa que a gente não espera, mas acontece. Estou muito feliz. Sou comendadeira da Câmara Municipal de Manaus e também terei uma homenagem na Assembléia Legislativa do Amazonas até final do ano”, disse.

Celestina lembra alguns destaques da sua carreira. “O meu primeiro CD com apoio da Fundação Vila Lobos. Foi meu maior logro. Esperei oito anos e agora estou com nova gravação com recursos próprios”, destacou.

“Essa turma da velha guarda precisa ser homenageada. Celestina, o Patriarca, o Peteleco da Viola. Eu fico feliz e ao mesmo tempo triste porque nossos artistas locais não recebem nenhum cartão de aniversario por parte das autoridades, mas quando a pessoa morre ai eles aparecem e ninguém deveria passar por isto. O artista não conta e nem tem apoio da Prefeitura de Manaus nem do Governo do Estado. Agradeço a todos os artistas que participaram deste reconhecimento”, afirmou Paulo Onofre.

Patriarca

Outro homenageado foi o Patriarca. “Tenho 40 anos de carreira. Comecei no Hotel Tropical nos anos 70. É muito difícil agora contar com o ajuda das autoridades. O que mais se vê é forro e pagode. Não temos espaço para outras manifestações musicais. Seria bom que a Prefeitura de Manaus desse apoio”, frisou.

“É um encontro de varias pessoas que vieram para homenagear esta grande artista que é a Celestina. Pessoa de grande valor e somos gratos de estar reunidos com estes artistas que falam de nossa região através de sua musica, temos que apreciar todas as manifestações culturais que mostrem o Amazonas para o mundo, os artistas deveriam contar com apoio das autoridades”, Jefferson Praia.

Organizar a cultura

“Estive com os produtores culturais que tomaram a iniciativa de criar o Instituto Tapajós, na cidade de Óbidos (PA) através da Universidade de Pará, com todas as suas dificuldades conta com um museu funcionando. Já o Conselho de Patrimônio Histórico em Manaus, sendo uma cidade tão rica em cultura, não consegue desenvolver nada neste sentido. Por isso é importante organizar a cultura. Neste sentido estamos trabalhando com mais artistas de Parintins para mostrar a verdadeira história, não apenas o Festival de Bumbás, mas muitas outras faces da cultura regional”, afirma o artista local Pedro Ribeiro.

Referente aos homenageados, Pedro Ribeiro afirmou que tanto Celestina quanto Patriarca merecem nosso reconhecimento e respeito, pois sabe que é difícil para o trabalhador cultural. “Temos que mostrar o nosso valor e mostrar que é possível viver da nossa arte”, finaliza. (Mercedes Guzmán)

Roberto Brasil