Candidatos ao governo do AM têm 27 dias para acelerar campanha

By -

O ex-governador Amazonino Mendes (PDT) foi um dos candidatos que iniciou a agenda no sábado – Janailton Falcão

Os nove candidatos que disputam o governo do Estado na eleição suplementar terão menos de um mês para intensificar suas campanhas de rua e na mídia eletrônica, de forma a conquistar a confiança do eleitor. O pleito ficou suspenso por oito dias por uma determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, mas foi retomado na última quinta-feira à noite, por decisão do ministro Celso de Mello.

Com isso, mesmo com oito dias a menos, o calendário eleitoral foi retomado e, desde ontem, os candidatos já retornaram com seus compromissos de campanha e corpo a corpo, além de estarem finalizando a gravação de seus primeiros programas eleitorais, que começam a ser veiculados em TV e rádio a partir desta segunda-feira (10). Para agilizar o recebimento das mídias por parte das coligações, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) confirma que estará de plantão durante todo este domingo.

O ex-governador Amazonino Mendes (PDT) foi um dos candidatos que iniciou a agenda no sábado. Ele retomou as atividades com a gravação do programa eleitoral, às 9h, e reunião com a coordenação de campanha, às 11h. A assessoria de comunicação informa que não há previsão para o retorno do candidato às ruas para o corpo a corpo junto ao eleitor, mas confirma a estreia de candidato no horário eleitoral no rádio e na TV, a partir de amanhã.

Sobre o conteúdo da produção, a assessoria garante que a coligação Movimento pela Reconstrução do Amazonas vai exibir a maneira de como Amazonino vai reconstruir o Estado, melhorar os serviços e colocar máquina pública em ordem. O programa exibirá ainda como a oferta de emprego terá aumento durante 12 meses de gestão.

A coligação União pelo Amazonas também irá trabalhar bastante do fim de semana – Arthur Castro

O candidato acredita que a manutenção da data da eleição é um auxílio ao andamento da campanha, porque reduz custos. “Uma campanha curta é uma campanha para os novos tempos, quando é preciso economizar, já que as estruturas estão muito mais enxutas e as regras eleitorais não permitem gastos fora do padrão”, defendeu Amazonino.

A coligação União pelo Amazonas, formada pelo candidato Eduardo Braga (PMDB) e o vice, Marcelo Ramos (PR), reuniram-se, ainda na sexta-feira (7), na sede do Partido da República, junto com o presidente estadual da legenda, o deputado federal Alfredo Nascimento. E ontem mesmo a dupla retomou a campanha de rua.

Quanto ao programa eleitoral, Marcelo adiantou que a coligação já havia produzido algumas peças, que serão concluídas no fim de semana, antes da suspensão do pleito. Para ele, a manutenção da data da eleição para 6 de agosto é uma forma da população escolher um novo governador e sair da “crise profunda”.

O último candidato a entrar na disputa para eleição, Jardel Nogueira (PPL) admite que estava desanimado com a suspensão do pleito, mas garante que usará o fim de semana para acelerar a gravação do programa eleitoral do rádio e TV. “Vamos fazer o nosso melhor”, disse.

O candidato José Ricardo (PT) retornou às atividades de rua ontem e promete manter um ritmo intenso pelos próximos dias. Para ele, com a redução de oito dias na campanha, irá precisar fortalecer o contato junto ao eleitor para apresentar as propostas da coligação Compromisso com o Amazonas.

Ao falar sobre o andamento da produção da propaganda eleitoral para o rádio e TV, ele informa que a elaboração estará em processo de finalização neste final de semana, para ir ao ar amanhã. “Em nosso programa, além de levar nossas propostas, vamos denunciar essa situação que acontece no Estado, em que há problemas alarmantes na área da saúde e segurança, e isso é um problema de gestões anteriores”, afirmou.

Marcelo Serafim (PSB) informou que antes da suspensão do pleito já contava com o programa eleitoral todo redigido e formatado

A candidata Liliane Araújo (PPS) iniciou a gravação da propaganda eleitoral na sexta-feira (7) à tarde e garante que a mídia estará pronta para exibição amanhã. Ao falar sobre o conteúdo da produção, ela afirma que falará no rádio e na TV sobre as propostas do plano de governo emergencial para o Estado, demonstrando que há possibilidade real de mudança.

“A minha candidatura vai mostrar ao cidadão amazonense o rompimento que fizemos com todo o atraso que existe na política local”, adiantou. A segunda-feira também será marcada com o retorno dela às ruas. “Ao mesmo tempo, a coordenação de campanha deverá reunir com apoiadores e equipes de trabalho para iniciar as atividades de rua com panfletagem nos bairros, adesivagem nos semáforos e bandeiradas em cruzamentos”, garantiu.

Ao falar sobre o conteúdo do próprio programa eleitoral, o candidato Luiz Castro (Rede) revela que a coligação terá de superar obstáculos logísticos e operacionais, em vista do pouco tempo disponível para exibir propaganda eleitoral amanhã.

O candidato adianta que reestabelecerá a agenda de caminhada assim que avançar nas gravações de rádio e TV. Para ele, a manutenção da data da eleição para 6 de agosto garante ainda maior segurança jurídica ao pleito, que, segundo ele, foi “equivocadamente suspenso”. Caso a eleição tivesse sido adiada para setembro, a insegurança jurídica e política seria grande e haveria possibilidades maiores de controvérsias e manobras protelatórias.

Rebecca Garcia recomeçou sua campanha na última sexta-feira – Michael Dantas

Marcelo Serafim (PSB) informou que antes da suspensão do pleito já contava com o programa eleitoral todo redigido e formatado e, agora, utilizará o fim de semana para realizar a finalização da produção. “Teremos um tempo de 45 segundos, então dá para terminá-lo a tempo da exibição na segunda-feira”, informou. Sobre o conteúdo, ele informa que a produção será uma apresentação com a carreira política dele e atuação durante a eleição.

O candidato Wilker Barreto (PHS) se orgulha por ser o primeiro postulante a estar no interior após a decisão de manutenção do pleito e do calendário eleitoral. Ele conta que já estava com uma viagem programada ao município de Santa Izabel do Rio Negro, e, com a decisão favorável à eleição suplementar, aproveitou para fazer campanha e reunir com lideranças políticas da cidade. Ele retornou ontem à capital amazonense.

“Com a minha volta, terei que reunir com todos, porque eu desmontei a minha campanha com a suspensão do pleito”, disse. Ao falar sobre a composição da propaganda de rádio e TV, o vereador informa que por ter apenas 12 segundos de programa, terá de trabalhar os quatro pilares do plano de governo – saúde, segurança, emprego e educação.

Candidata da coligação 11 – Coragem para Renovar, a ex-superintendente da Suframa Rebecca Garcia recomeçou sua campanha na última sexta-feira com “determinação e a força de quem deseja, de verdade, trabalhar para tirar o Amazonas da crise em que se encontra e colocá-lo no caminho do crescimento e da esperança”. Otimista, ela afirma que a meta é chegar ao segundo turno com uma campanha “pé no chã”, assumindo os compromissos que poderão ser cumpridos em um mandato curto.

(Com EM TEMPO)

Roberto Brasil