Câmera desaba no Parque Olímpico e atinge sete pessoas

By -
O local da queda da câmera no Parque Olímpico foi isolado logo depois do acidente

O local da queda da câmera no Parque Olímpico foi isolado logo depois do acidente

Uma câmera de TV suspensa, instalada no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, desabou atingindo sete pessoas na tarde desta segunda-feira. As vítimas tiveram ferimentos leves – cinco delas foram atingidas pelo cabo que sustentava a câmera. As outras duas pessoas – duas mulheres – foram atingidas pela câmera. Três pessoas receberam atendimento no local e foram liberadas. Quatro vítimas foram encaminhadas para o Hospital Lourenço Jorge para observação e lá farão exames de imagem. A expectativa é que sejam liberadas ainda nesta segunda-feira.

Uma delas – atingida pela câmera – machucou o nariz, que sangrava bastante no momento em que foi atendida. Este é o caso considerado mais sério. Outra foi atingida de raspão pelo equipamento.

As mulheres feridas estavam conscientes e foram levadas para uma área atrás da Arena Carioca 1, para receberem atendimento médico de emergência.

O público que passava pelo local no momento do acidente ouviu um estrondo. A câmera despencou por volta das 13h30m (horário de Manaus).

Duas das três pessoas feridas na queda de uma câmera de TV suspensa no Parque Olímpico

Duas das três pessoas feridas na queda de uma câmera de TV suspensa no Parque Olímpico

Antes de o equipamento despencar totalmente, parte da área já tinha sido isolada, porque o cabo de aço tinha se rompido mais cedo.

O britânico Chris Adams, técnico de ginástica artística, que veio para torcer por seu país, testemunhou o acidente:

– Eu estava na ponte, tirando fotos, e vi um fita amarela, indicando que não era possível passar. E tinha um cabo ligado às câmeras. Já havia ocorrido algum problema. De repente escutei um barulho, e quando percebi havia gente gritando e cercando pessoas. Você podia ver sangue, e acho que as pessoas têm muita muita sorte, porque a câmera caiu a 15 ou 20 milhas por hora ( de 24 a 32 km/h). Foi muito chocante que a principal câmera do parque tenha caído – contou, acrescentando que o atendimento demorou cerca de dez segundos para ser feito.

O equipamento é de responsabilidade da empresa Olympic Broadcasting Service (OBS), que pertence ao Comitê Olímpico Internacional (COI), geradora das imagens na transmissão oficial dos Jogos do Rio. As câmeras fazem imagens em todas as arenas da Olimpíada do Rio.

(Com Agência O Globo)

Roberto Brasil