Câmara é evacuada em 7 minutos durante simulação de incêndio

By -

CMM

Foram sete minutos para a evacuação total do prédio da Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã desta sexta-feira (1º), na primeira simulação de incêndio no prédio. A ação foi considerada de sucesso pelo presidente do Poder Legislativo, vereador Wilker Barreto (PHS), visto que a estimativa era de  desocupação em 20 minutos, conforme a Brigada de Pronto Atendimento (BPA).

“Temos funcionários, vereadores e visitantes que precisam ter a vida resguardada. Fico feliz que a simulação obteve um tempo de ótimo de evacuação num prédio com mais de mil funcionários”, comemorou Barreto, acrescentando, ainda, que a Casa se encontra adequada para a norma ambiental (ISO 14001, em processo de implantação na Câmara).

O parlamentar observou também que houve toda uma preocupação para que a simulação ocorresse como o esperado. Para isso, os hidrantes foram trocados e revisados, foi montada a Brigada de Pronto Atendimento com profissionais treinados e capacitados e as sinalizações foram colocadas em todo o ambiente interno e externo da Câmara.

CMM

“Nós tínhamos um grande problema com o alarme que disparava constantemente sem nenhum motivo e isso foi tirando o grau de confiança dos servidores. Hoje, estamos com todos os itens de segurança devidamente auferidos pelos Bombeiros. Isso é mais uma medida que faz a Mesa Diretora no sentido de dar mais qualidade e segurança aos visitantes, servidores e vereadores, da mesma forma como foi realizada a parceria com a Polícia Militar. Hoje temos dois PMs diariamente na Casa. Aqui não estamos preocupados com o patrimônio, mas sim com a vida das pessoas”, assegurou Wilker Barreto, que reuniu ao final da simulação com a equipe de brigadistas para agradecer pelo empenho durante a ação.

O diretor de Gestão Ambiental e Tecnologia de Informação, André Luiz, ressaltou que manter a Brigada ativa na Casa é uma obrigação para a obtenção de um sistema de combate eficiente, independentemente da ISO 14001. “Precisamos rotineiramente fazer o simulado de evacuação, para analisar e levantar os pontos falhos e o que precisa ser melhorado no caso de um sinistro real. A simulação de hoje foi testar o sistema de combate ao incêndio, se os brigadistas estão bem treinados, se as sinalizações estão adequadas e medir o tempo de como está sendo feita a evacuação”, explicou André Luiz.

CMM - SIMULACAO DE EVACUACAO_TIAGO CORREA (1)

“Para a nossa surpresa tivemos um tempo ótimo. Os brigadistas foram em todas os setores e gabinetes checar se tinha alguém desavisado ou que não ouviu a sirene, ou alguém que tivesse passando mal. O simulado foi muito bem realizado, colaborando com o que se pretende fazer na Casa, que á adequá-la com todos as documentações e legislações e laudos necessários para a segurança”, destacou o diretor.

Sobre a simulação

A simulação foi realizada na Casa Legislativa em cumprimento à Norma 14.276 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que estabelece a realização de simulados de evacuação em órgãos públicos e empresas. A norma estabelece as condições mínimas para a elaboração de um programa de Brigada de Incêndio, visando proteger a vida e o patrimônio, bem como reduzir as consequências sociais do sinistro e dos danos ao meio ambiente.

A ação foi realizada pela Brigada de Pronto Atendimento (BPA) da CMM, composta por uma equipe de 13 servidores que estiveram orientando os servidores sobre as saídas mais próximas para a evacuação do prédio, no menor tempo possível.

O início da simulação de evacuação deu-se às 11h desta sexta-feira (1º), quando o alarme da central de incêndio disparou ruído sonoro. Após o toque de alarme, os membros do BPA reuniram-se no ponto de encontro próximo da subestação, onde conduziram os demais servidores à realização da evacuação. O tempo previsto para a evacuação era de 20 minutos, o qual foi reduzido em tempo hábil para sete minutos, sendo que a chegada ao ponto de encontro foi realizado em cinco minutos.

Após essa primeira simulação, a equipe da BPA vai reunir para análise crítica, a fim de rever a conduta dos brigadistas, a divisão das equipes, a segurança no atendimento, a evacuação do local, os pontos positivos e negativos e a situação do alarme, para corrigir possíveis erros e tratar os problemas para a próxima simulação.

Mario Dantas