Câmara debate a revitalização do prédio da UFAM

By -

20160503_094716

Mário Frota: Não podemos deixar que aconteça com esse prédio o mesmo que aconteceu com o da Santa Casa de Misericórdia de Manaus que foi saqueada, seus equipamentos foram roubados e outros se tornaram obsoletos ou viraram sucatas, seu telhado já desabou, suas paredes estão perto de ruir e hoje suas instalações serve de abrigo para moradores de rua.

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) realizou nesta terça-feira (3), Audiência Pública para debater a revitalização do antigo prédio da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). A proposta, de autoria do vereador Mário Frota (PHS), contou com a participação do advogado Júlio Antônio Lopes, criador do movimento “Salve a Velha Jaqueira”, fundado em 17 de janeiro, que tem como objetivo sensibilizar as autoridades do setor de educação para a necessidade da realização de uma reforma emergencial e, na sequência, o restauro completo do complexo arquitetônico – que já faz parte do patrimônio histórico e cultural do Amazonas – localizado na rua Coronel Sérgio Pessoa, ao lado da Praça dos Remédios, no Centro da cidade.

De acordo com Júlio Antônio Lopes, o prédio está praticamente abandonado desde 2012, sem nenhuma finalidade e está com suas instalações comprometidas devido a falta de manutenção, com muitas goteiras e infiltrações nas suas paredes, “mas não tem risco de desabar”, conforme constatou um técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que, para evitar riscos de incêndio, aconselhou desligar a chave geral da energia elétrica. Júlio lamentou que os engenheiros do Iphan sejam contra a reforma emergencial antes do restauro completo do prédio porque é um trabalho que demanda tempo e alta soma de recursos. Ele lembrou ainda que existem vários prédios nas imediações da Praça dos Remédios que foram tombados como patrimônio histórico, mas que já sofreram reformas antes de serem restaurados.

A reitora da Ufam, Márcia Perales, esteve fazendo uma visita para analisar as instalações da antiga Faculdade de Direito, juntamente com o Secretário Estadual de Cultura, Robério Braga, que se comprometeu em conseguir os recursos para a recuperação do ‘Prédio da Jaqueira’ como ficou mais conhecido no seio acadêmico. “A nossa mobilização para reabrir esse prédio tem três prioridades, pela ordem: reforma emergencial, restauro e ocupação. Esse prédio pode dar lugar a cursos de mestrado, escola técnica federal, biblioteca digital, dentre outras atividades”, ensina Júlio Antônio Lopes.

Para o vereador Mário Frota, que se formou em Direito, estudando no ‘Prédio da Jaqueira’, a recuperação desse patrimônio é de suma importância para a preservação da história do Brasil porque foi a primeira instituição de ensino superior de Direito no país. “Não podemos deixar que aconteça com esse prédio o mesmo que aconteceu com o da Santa Casa de Misericórdia de Manaus que foi saqueada, seus equipamentos foram roubados e outros se tornaram obsoletos ou viraram sucatas, seu telhado já desabou, suas paredes estão perto de ruir e hoje suas instalações serve de abrigo para moradores de rua”, lamenta Frota.

Mario Dantas