Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa é desativada

By -
A transferência foi realizada na manhã desta terça-feira (11)

A transferência foi realizada na manhã desta terça-feira (11)

Os últimos 167 detentos que ainda estavam presos na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, foram transferidos na manhã desta terça-feira (11). Até o fim do mês, o histórico prédio localizado na Avenida Sete de Setembro será entregue à Secretaria de Estado da Cultura.

Todos os presos transferidos hoje foram levados à Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). O esvaziamento ocorreu de maneira tranquila, um dia após nove presos da unidade fugirem da unidade. Eles ainda não foram recapturados.

Familiares fizeram fila para pegar pertences dos presos

Familiares fizeram fila para pegar pertences dos presos

Familiares dos 167 presos fizeram fila para receber os pertences deles. Os presos deixaram a centenária cadeia por volta das 6h30 em vans, viaturas e caminhões baú. Não houve nenhuma manifestação por parte dos transferidos. Alguns saíram de cabeça baixar e outros preferiram cobrir o rosto.

A Cadeia Pública era a porta de entrada do sistema penitenciário em Manaus. A partir desta terça-feira, quem for preso de maneira provisória ou em flagrante será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem, que funcionará em uma ala do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), no KM-8 da BR-174.

Esvaziamento ocorreu um dia após a fuga de nove presos da cadeia

Esvaziamento ocorreu um dia após a fuga de nove presos da cadeia

Em setembro de 2013, após um mutirão penitenciário realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o conselheiro Guilherme Calmon pediu o fechamento da unidade. Segundo Calmon, na ocasião, a desativação do prédio era necessária pela “superlotação de detentos no local e pelas condições subumanas a que estão sujeitos detentos homens e mulheres no presídio”.

109 anos de história

Com o nome Casa de Detenção de Manaus, a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoal foi inaugurada em 19 de março de 1907, no governo de Antonio Constantino Nery. Ela funcionou como Penitenciária Desembargador Raimundo Vidal Pessoa até 1999, quando foi inaugurado o Regime Fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, e depois disso passou a funcionar como centro de detenção provisória.

(Com Portal A Crítica)

Roberto Brasil