Cadastro Integrado Municipal prevê a unificação de endereços

By -
A ideia é facilitar e unificar a localização e acesso aos endereços

A ideia é facilitar e unificar a localização e acesso aos endereços

A Prefeitura de Manaus participou de audiência pública sobre o Cadastro Integrado Municipal (CIM), que visa oferecer uma base de endereços oficial na cidade. O encontro, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), reuniu também líderes comunitários, prestadores de serviços e outras categorias que trabalham diretamente com o endereçamento.

Com a preocupação de facilitar e unificar a localização e acesso aos endereços no município, a Prefeitura de Manaus mantém unificados desde dezembro de 2014 os endereços cadastrados na Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef) e no Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb). Existe um trabalho em conjunto para que essa base possa ser compartilhada e passe a ser pública e acessível também à população.

A audiência na CMM contou com a presença de representantes do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) e Procuradoria Geral do Município (PGM).

“Estamos afinando as bases deste cadastro de forma conjunta, com a participação da Câmara Municipal. A prefeitura trabalha no cadastro único e em breve ele será disponibilizado para os serviços públicos e concessionárias para que tenhamos a padronização de informações, uma base só”, explicou o diretor de Planejamento Urbano do Implurb, Laurent Troost.

O processo de unificação de endereços atende a uma mudança realizada em 1996, quando cumprindo a lei federal, a Câmara Municipal iniciou um longo processo, fruto também de um grupo de trabalho, para a revisão de endereços na cidade. Na época, o levantamento realizado apontava a necessidade de se mudar mais de oito mil logradouros, incluindo os critérios de legislação específica.

“Essa atualização é feita até hoje em razão do enorme volume de vias. A mudança atende as normas federais de identificação de logradouros, que preveem, por exemplo, não ser possível usar nomes alfanuméricos, nomes repetidos e de pessoas vivas para as vias”, afirmou Troost.

Melhorias

Em busca da unificação dos endereços, a prefeitura está implantando um sistema de tecnologia geográfica para criar informações, padronizar e modelar os bancos de dados para, em um futuro próximo, disponibilizar as informações. A ideia é fazer desde a integração de endereços entre prefeitura e concessionárias de serviços públicos, como água e luz, além dos privados, de telefonia, incluindo informações do IBGE e Correios, até a emissão de Certidão de Endereço Online.

Roberto Brasil