Britânica foi morta com tiros de espingarda e jogada no rio, diz delegado

By -

A atleta britânica Emma Kelty, de 43 anos, foi morta com dois tiros de espingarda e depois jogada no meio do rio, nas proximidades da comunidade Lauro Sodré, no município de Coari. A informação foi divulgada na tarde desta terça-feira (19), pelo delegado-geral adjunto, Ivo Martins, que participou das oitivas com os criminosos confessos.

De acordo com ele, sete pessoas participaram do crime, sendo dois adolescentes de 17 anos – ambos já apreendidos.  Entre os outros cinco maiores de idade – um deles já preso – que participaram do crime, estão três irmãos.

Segundo Ivo Martins, todos os depoimentos dos  criminosos já capturados indicam que ela foi morta por volta das 19h da última quarta-feira (13). Eles relataram, em depoimento, que estavam em uma canoa e foram para a comunidade para praticar crimes ocasionais. “Eles não são aqueles traficantes que achacam grandes quantidades de drogas nos rios da Amazônia. São pequenos traficantes e usuários de drogas que cometem crimes de oportunidade”, afirmou Ivo.

O delegado afirmou que o grupo viu a barraca montada pela britânica, na Ilha do Boieiro, e então efetuaram a abordagem. Um deles, identificado pela alcunha de Baia, sacou uma espingarda calibre 20 e fez dois disparos que atingiram Emma. Eles,então, pegaram todos os bens dela – celulares, tablet e até um drone .

Foto: Divulgação

O caiaque que Emma usava para cruzar toda a extensão do Rio Amazonas foi todo furado, usando uma faca de propriedade da inglesa. “Eles encharcaram o caiaque para que ele afundasse, mas ele é feito com um material que não afunda. Mas eles levaram tudo que podiam”, disse o delegado.

Após levarem tudo da turista, eles colocaram o corpo na canoa e a jogaram no fundo do rio. A canoa usada no crime já foi apreendida e, segundo o delegado, será trazida para perícia em Manaus, em busca de material genético da atleta.

Ivo Martins afirmou ainda que as investigações estão apenas começando, mas que o receptador que ficou com os produtos roubados da britânica já foi identificado. Ele mora em Coari e não participou do crime, conforme o delegado. Os outros quatro suspeitos de participação no crime seguem sendo procurados pela polícia.

Por Portal A Crítica

Roberto Brasil